Startups e a integração de serviços digitais foram destaques do último dia da VII Semana Estadual de TIC

Duas mesas-redondas com conteúdos ricos e contextos inovadores marcaram o encerramento da VII Semana Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), na última sexta-feira (25). Com um formato totalmente on-line, a atividade, organizada pelo Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest), promoveu debates sobre várias tendências tecnológicas da atualidade.

O presidente do Prodest, Tasso Lugon, disse que a realização do evento foi resultado de um grande empenho da equipe da autarquia. “Não é fácil construir um evento totalmente digital e com temas relevantes (LGPD, inovação com foco no cidadão, impacto da pandemia nos serviços digitais, perspectivas do governo digital, entre outros). O futuro pós-pandemia deve ser levado em consideração. Por isso, vamos finalizar a Semana destacando o papel das startups nesse cenário inovador”, afirmou.

O governador do Estado, Renato Casagrande, disse que é muito positivo debater as mudanças tecnológicas buscando referências no mundo digital, como o Raphael Fassoni, fundador do Estônia Hub.  Além disso, destacou que a pandemia provocou uma série de mudanças na administração pública estadual.

“Hoje, fazemos muitas reuniões e eventos no formato on-line. Implantamos uma nova cultura que é resultado não apenas das circunstâncias geradas pelo novo Coronavírus, mas também pelo investimento em tecnologia. Estamos ampliando a nossa rede de fibra óptica, adquirindo equipamentos de segurança digital e apostando em sistemas de inteligência analítica. Isso beneficia órgãos como o Detran-ES, a Sefaz e as Secretarias de Estado da Segurança Pública e da Justiça”, enfatizou o governador.

Casagrande ainda disse que o Prodest tem coordenado a transformação digital no Governo do Estado de forma estratégica. “Temos o e-Docs, responsável por viabilizar o fluxo digital de processos e documentos na administração pública. Também destaco o projeto CiberCidadão que vai nos proporcionar bons resultados no futuro. Com certeza, vamos avançar bastante nos próximos anos”, acrescentou.

Startups e inovação

Um dos destaques foi a mesa-redonda “A importância da gestão de inovação com as startups”, composta apenas por mulheres e moderada pela a subsecretária de Estado de Projetos de Desenvolvimento Econômico, Fabrine Schwan, que considera a VII Semana Estadual de TIC um evento marcante para o Estado. “No Espírito Santo, estamos fazendo um movimento de transformação digital muito impactante. Para isso atingir bons resultados, a inovação e o planejamento devem trabalhar juntos”, acrescentou.

A gerente de Inovação da Secretaria de Gestão e Recursos Humanos, Nara Falqueto Caliman, detalhou o projeto Pitch Gov.ES, cujo foco é envolver startups em projetos relacionados em áreas importantes para o setor público, como Educação, Agricultura, Mobilidade Urbana, Justiça, Trabalho, Economia Criativa, entre outras. “Foram selecionadas 15 startups, sendo duas capixabas. Tivemos uma adesão muito boa ao programa e conseguimos fazer ótimas escolhas”, frisou.

Segundo Nara Falqueto Caliman, a fase de testes das startups selecionadas começou no último dia 15. Todas as soluções escolhidas pelo Pitch Gov.ES serão avaliadas para verificar se podem ser contratadas e utilizadas pelo Governo do Estado. “Com as soluções sendo validadas e customizadas, as startups podem ser contratadas com mais facilidade não só pela administração pública estadual, mas também por outros estados e municípios”, explicou.

A analista comercial da Associação Brasileira de Startups (ABStartups) Juliana Santelli disse que a entidade tem cerca de 13 mil empresas associadas. “Trabalhamos com mentoria e suporte para as startups terem mais condições de desenvolverem projetos que podem ser aproveitados pela iniciativa privada e pelo setor público. Buscamos também viabilizar a execução dessas ações por meio de apoio para a aquisição de crédito”, explicou.

Para Ingrid Barth, cofundadora do Linker Bank (fintech para empresas de pequeno porte), é importante facilitar o acesso das pessoas aos serviços financeiros, o que pode ser viabilizado por meio do avanço tecnológico. “A inovação é promovida de fato quando fortalecemos a diversidade do ecossistema de startups, envolvendo pessoas de diferentes regiões e históricos de vida. Não podemos esquecer que o Poder Público é fundamental para novos atores sociais terem mais espaço, o que é imprescindível para inovar”, pontuou.

Integração

Diretamente da Estônia, o fundador do Estônia Hub, Raphael Fassoni, moderou a mesa redonda-redonda “Plataformas Digitais, Integração e Interoperabilidade para Transformação Digital”. Ele disse que vontade política, educação e foco em inovação são essenciais para tornar a administração pública mais digitalizada e voltada para as necessidades do cidadão.

A diretora técnica do Prodest, Marcianne Ribeiro Antunes Lima, afirmou que a ampliação dos serviços digitais é importante, sendo que isso deve estar aliado com um alto nível de segurança da informação. “Recentemente, desenvolvemos o e-Docs Chain que eleva a proteção aos documentos e processos que estão no sistema”, acrescentou.

Para o coordenador do Núcleo de Integração e Interoperabilidade para a Transformação Digital, do Grupo de Transformação Digital da Abep-TIC (entidade que reúne órgãos estaduais de TI), Marcus Vinicius da Costa, a integração é a capacidade de gerar serviços que permitem vencer as dificuldades de comunicação entre os sistemas. “É necessário levar em consideração as dimensões semântica e organizacional, para que as soluções digitais sejam devidamente implementadas”, apontou.

O diretor de TI e Transformação Digital da Agência Estadual de Tecnologia da Informação de Pernambuco (ATI-PE), Romero Wanderley Guimarães, ressaltou ser necessário buscar alternativas para unir a infraestrutura tecnológica e o conhecimento, para a transformação digital estar mais próxima do Poder Público. “A arquitetura corporativa ajuda a verificar o que pode ser modificado sem prejudicar os serviços que estão sendo disponibilizados para o cidadão. Por isso, é um mecanismo tão importante atualmente”, ressaltou.


Leia mais

Leia também