Startups brasileiras conquistam espaço no mercado internacional

Mais de 100 startups brasileiras já tiveram contato com o cenário internacional após receberem preparação da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O StartOut Brasil é um programa forte nessa inserção. A iniciativa seleciona startups inovadoras com potencial de internacionalização e oferece mentoria e contato com parceiros, investidores e potenciais clientes.

Uma dessas startups que teve o apoio para se internacionalizar foi a Biosolvit que trabalha com um absorvedor natural de petróleo que é mais eficiente que os produtos sintéticos usados em vazamentos em plataformas marítimas. A Biosolvit participou de rodadas da StartOut Brasil.

O fundador e CEO da Biosolvit, Guilhermo Queiroz, conta que a empresa se tornou uma startup em 2017 e surgiu a necessidade de buscar novos mercados.
“Naquele momento, nós fomos selecionados para uma missão do Startout Brasil. Nós fomos para França nessa missão, lá recebemos um treinamento contratado por um consultor da Apex que continua conosco nesta jornada até hoje. A partir daquele primeiro encontro com o mercado francês, nós entendemos que nós temos um produto competitivo, mas entendemos também que a gente precisava se preparar muito para esse desafio. Desde então, foram três edições do StartOut Brasil”, relatou Guilherme Queiroz.

Cada ciclo do StartOut Brasil é focado em um país. O primeiro ciclo foi em Buenos Aires, em 2017. Em seguida, as startups brasileiras passaram por países como Paris, Berlim, Miami, Boston, Lisboa, Santiago e Toronto. Já participaram negócios de áreas como biotecnologia, telemedicina, engenharia integrada, tecnologias químicas e tecnologia e sustentabilidade.

A coordenadora de expansão internacional da Apex-Brasil, Karina Bazuchi, explicou que a seleção para o StartOut Brasil leva em conta o potencial de internacionalização da startup.

“As empresas selecionadas vão passar por uma preparação para acessarem mercados. Elas são preparadas para saber como operar no país, como estabelecer um plano de expansão internacional, como se preparar para conseguir receber investimento estrangeiro para viabilizar esse projeto. Depois dessa etapa de preparação, organizamos missões presenciais aos países de destino dos ciclos. Vamos realizar reuniões com investidores, potenciais clientes, para que seja facilitada essa entrada no exterior”, explicou Karina Bazuchi.

Expansão internacional

A Apex-Brasil, que é vinculada ao Ministério da Relações Exteriores, tem outras iniciativas de estímulo à expansão internacional como o Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX) e o Programa de Internacionalização.

“Os benefícios dessa expansão internacional são muito grandes. A empresa vai conseguir acesso melhor a capital, acesso à tecnologia, mercado para escalar seus produtos. E nossa missão é apoiar essas empresas para conseguirem se expandir lá fora”, disse Karina Bazuchi.

Os interessados em buscar apoio da Apex-Brasil podem entrar em contato pelas redes sociais e pelo Fale Conosco. No caso do StartOut, as informações sobre como participar estão no site do programa.

Fale Conosco Apex

Programa StartOut

Marco Legal das Startups

Na busca de criar um ambiente regulatório que estimule a atividade das empresas inovadoras e oferecer mais segurança jurídica para os investidores, em junho deste ano o Presidente Jair Bolsonaro sancionou o Marco Legal das Startups, Lei Complementar 182/2021.

O marco permite que as startups participem de licitações públicas e estipula a prioridade de análise de pedidos de patentes ou registros de marcas junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Tornar os processos mais rápidos para essas empresas permite que elas trabalhem de forma mais eficiente e produtiva.