SP: Municípios terão autonomia para definir retorno às aulas presenciais

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), afirmou nesta quarta-feira (19) que os municípios do estado vão ter autonomia para seguir ou não o cronograma de retorno às aulas definido pelo governo estadual. A Secretaria de Educação de São Paulo autorizou a volta presencial, tanto da rede pública como privada, a partir de 8 de setembro, para a educação infantil e os primeiros anos do ensino fundamental. 

No entanto, segundo a pasta, essas escolas devem estar localizadas em regiões que estejam há pelo menos 28 dias na fase amarela do Plano São Paulo, protocolo que traz diretrizes para a retomada econômica em todo o estado e obedecer o limite máximo de alunos por sala de aula em cada modalidade de ensino. O retorno efetivo, para todas as modalidades de ensino, mas ainda com restrições, está previsto para ocorrer em 7 de outubro.

Após três meses de paralisação, escolas de todo o país vivem incerteza sobre volta às aulas

O secretário de Educação, Rossieli Soares, ressaltou que cada prefeitura pode criar calendários próprios e até mesmo critérios mais rigorosos, conforme a situação epidemiológica de cada cidade. No entanto, a decisão deve valer para escolas públicas e privadas.
 

Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Leia mais

Leia também