Sistema FIEP oferece capacitação voltada para importação e exportação de serviços

O Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) vai promover uma capacitação em comércio exterior. Com o tema Importação e Exportação de Serviços, a ação está prevista para o dia 25 de fevereiro, das 14h às 18h, e será realizada por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN).

Segundo a analista de Relações Internacionais do Centro Internacional de Negócios, Caroline Pinheiro, o intuito é apresentar os pontos principais que definem o que é a importação e a exportação de serviços e as possibilidades que essas operações trazem aos negócios.

“O apoio vem por meio de temos atuais em comércio exterior, pelos quais podemos explicar como funcionam os processos e quais são as oportunidades. Nesse curso, além de a gente explicar como é o processo, também identificamos que os serviços no comércio internacional é uma grande oportunidade para ser agregada ao produto que já é fabricado no Brasil. E, além de esse produto poder ser exportado, pode ser agregado a algum tipo de serviço”, explica.

Ainda segundo Caroline, o programa se destinas às companhias que pretendem expandir seus negócios para outros países, sejam empresas que trabalham puramente com serviços, as desenvolvedoras de softwares e até mesmo indústrias fabricantes de bens tangíveis. “Aprender sobre a importação e exportação de serviços é abrir portas para o seu negócio”, salienta.

Durante a capacitação, serão abordados, por exemplo, itens que diferenciam a importação e exportação de serviços da importação e exportação de produtos, além de destacar as principais vantagens de se trabalhar com os intangíveis.

Atuante no mercado a mais de 18 anos, Luciana Mazzutti Leal será a facilitadora da capacitação. Segundo ela, a relevância dessa capacitação se dá pelo fato de muitas empresas ainda não saberem que os serviços podem ser exportados e que, em alguns casos, já há uma comercialização internacional ocorrendo sem o conhecimento do contratante.

“Muitas vezes eu faço contratação e é comum as empresas contratarem, por exemplo, serviço de nuvem para armazenagem de dados e elas nem sabem de onde está vindo esse serviço. O serviço de nuvem, por exemplo, não existe no Brasil. As empresas que fornecem estão fora, logo, estou importando um serviço sem saber”, pontua.

Senai de Mato Grosso do Sul é o segundo melhor do País em sustentabilidade em tecnologia e inovação

Brasil está entre os piores países do mundo em facilidade para abrir novas empresas

Senado vota nesta terça-feira PL para disponibilizar internet para alunos e professores da rede pública

Com experiência em logística internacional e atividades de comércio exterior, Luciana Mazzutti atua, ainda, na qualificação para exportação de pequenas e médias empresas. Ela também é professora de cursos de graduação, pós-graduação e de ensino à distância (EAD) em universidades de Curitiba e São Paulo.

Durante o programa serão apresentados dados básicos sobre importação e exportações brasileiras de serviços, o conceito, as vantagens do comércio internacional de serviços, assim como o roteiro para o projeto de importação e exportação, além da tributação e benefícios fiscais, documentação e classificação de serviços, entre outros pontos.
 

Foto: Arquivo/EBC

Leia mais

Leia também