Simplificadas regras para autorização de leitos de UTI para pacientes de Covid-19

Para garantir atendimento ágil e de qualidade para pacientes com Covid-19, o Ministério da Saúde pactuou, com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), novas regras para a autorização de abertura de leitos de UTI para tratamento da doença.

Para o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, as decisões pactuadas com estados e municípios têm como principal objetivo a proteção de todos os brasileiros. “Tudo o que é acordado aqui tem o objetivo de cuidar das pessoas, de defender os brasileiros da doença e dar melhores condições para que os profissionais de saúde, que estão na linha de frente, possam ganhar esta guerra.”

Entre outras mudanças, as novas regras estabelecem que os leitos de UTI para Covid-19 autorizados pelo ministério não precisarão mais de prorrogação. Eles poderão seguir operando até o fim da crise sanitária. Além disso, o custeio dos leitos será feito de forma integral pelo Ministério da Saúde por meio de repasses mensais, e não mais com a antecipação de verbas.

Seringas e agulhas

O Ministério da Saúde abriu novo pregão eletrônico para adquirir 460 milhões de seringas e agulhas, com um investimento estimado em R$ 75 milhões para dar continuidade à vacinação contra a Covid-19 no país.

A nova licitação visa ao registro de preços para aquisição dos insumos na forma, quantitativo e condições previstas no edital. A escolha será da proposta mais vantajosa para aquisição das seringas e agulhas.

O cronograma de entrega dos produtos será elaborado de acordo com a capacidade de produção industrial e os estoques já disponíveis nos estados.

O Ministério da Saúde já distribuiu mais de 18 milhões de insumos, entre eles 9.514.300 seringas e 8.519.400 agulhas em todas as regiões do Brasil.

 

Leia mais

Leia também