Setur e Instituto Jones apresentam boletim da economia do turismo

Os dados do Boletim da Economia do Turismo, relativos ao segundo trimestre de 2020, foram divulgados nesta quarta-feira (21). Na oportunidade, também foram apresentados os resultados da segunda etapa da pesquisa com os impactos econômicos e alcance das medidas durante a pandemia da Covid-19. O boletim tem atualização trimestral e é uma realização da Secretaria de Turismo (Setur), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

De acordo com os dados da pesquisa mensal de serviços (PMS), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes ao segundo trimestre de 2020, as atividades turísticas registraram variação negativa de -54,5%, na comparação ao trimestre anterior. Na comparação com os demais estados brasileiros, o Espírito Santo registrou a quarta menor queda das atividades turísticas, enquanto Ceará, Bahia e Distrito Federal apresentaram as maiores quedas. 

O secretário de Estado de Turismo, Dorval Uliana, destacou a importância deste acompanhamento sistematizado, que permite o planejamento de ações cada vez mais eficientes para o setor. “Os números refletem os impactos na economia em decorrência da pandemia. Felizmente, graças ao trabalho conjunto do Governo do Estado na administração desta crise de saúde pública, as ações de flexibilização estão permitindo que as atividades do setor comecem a mostrar resultados positivos, com destaque para o número de embarque e desembarque do Aeroporto de Vitória e a retomada de voos, que foram cancelados no período da pandemia”, afirmou Uliana.

O secretário destacou as ações de retomada que compõem o Plano da Setur, com a participação em atividades de promoção do destino, retomada das capacitações dos policiais militares, edital para os guias de turismo e a adequação dos estabelecimentos às normas sanitárias de prevenção ao novo Coronavírus (Covid-19). “Participamos da campanha “Supera Turismo’, da Abav Collab e, em breve, receberemos grupos de agentes de viagens e jornalistas para conhecerem e divulgarem todo nosso potencial turístico”, acrescentou.     

Segundo o coordenador de Estudos Econômicos do IJSN, Antonio Ricardo Freislebem da Rocha, a divulgação dos dados representa a importância que o setor de turismo tem para a atividade econômica do Estado. O objetivo do trabalho, de acordo com Rocha, é produzir informação para que a Secretaria tenha um diagnóstico mais exato do setor. Quanto ao boletim deste segundo trimestre, o coordenador destaca que os números mostram o impacto da pandemia da Covid-19 no setor.

“Os resultados do segundo trimestre de 2020 representam o período completo da pandemia. Então, o impacto foi em cheio nesse segundo trimestre. Por este motivo, se nós compararmos o segundo trimestre de 2020 com o primeiro trimestre, a queda no volume de atividade turística foi de 54,5%, em volume, e, 57,5%, em receita. Se nós compararmos o segundo trimestre de 2020 com o segundo trimestre de 2019, a queda no volume foi de 60%, e, na receita, de 62,9%”, afirmou o coordenador.

Antonio Ricardo Freislebem da Rocha ressaltou os setores mais impactados. “Os efeitos da pandemia sobre o setor de turismo foram bastante negativos. Impactou, principalmente, aqueles setores voltados à alimentação, transporte aéreo, terrestre, marítimo e todos os setores que compõem as natividades turísticas no Estado. Em nível nacional, as quedas desse segundo trimestre de 2020 foram maiores, porque tem alguns estados que apresentaram quedas bem maiores que o Espírito Santo, como a Bahia e o Ceará, Estados em que a atividade turística tem um peso maior e mais importante, comparativamente ao Espírito Santo”, pontuou.

Ações Setur

Visando a avaliar junto ao setor a receptividade das ações adotadas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo, no sentido de amenizar os impactos econômicos, o Observatório do Turismo realizou a pesquisa “Impactos econômicos e alcance das medidas durante a pandemia do Covid-19, no Espírito Santo”.

Em sua segunda edição, participaram da pesquisa realizada por meio de formulário, empresários e profissionais autônomos de 29 municípios. Desse total, 81,8% das pessoas físicas, a maioria guias de turismo, tiveram a atividade interrompida em 100%. Já entre as empresas, 50% interromperam a atividade, 30% reduziram até 75% da atividade e 15,5% reduziram até 50%.

Sobre as linhas de crédito disponibilizadas, 22,1% precisaram recorrer acessando principalmente o Banestes (25,9%), Sicoob (17,6%), Bandes (16,5%), Banco do Brasil (15,3%) e Caixa Econômica Federal ( 9,4%).

Retomada

Apesar dos dados apontarem queda nas atividades características do turismo, o setor começa a mostrar sinais de retomada das atividades. Na aviação, por exemplo, há a estimativa de recuperação de 60% do volume de passageiros, em relação ao mesmo mês do ano anterior. Em junho, foram retomados três voos semanais (ida e volta) Brasília-Vitória, e, em dezembro, há a previsão de um voo diário (ida e volta) Vitória-Recife

Confira o Boletim da Economia do Turismo: https://bit.ly/3ofakVh

Informações à Imprensa:
Assessoria de Imprensa da Setur
Simone Diniz
(27) 3636-8006 / 99805-1308
imprensa@turismo.es.gov.br

 

Leia mais

Decreto altera regulamento de serviços de retransmissão e de repetição de TV

A medida permite o uso racional do espectro ao manter um mesmo número de canal. ...

Selo de turismo responsável já tem mais de 12 mil adesões

12.450 prestadores de serviços turísticos do País já solicitaram o selo. Foto: Ministério do Turismo O selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, lançado no...

Leia também