Setades promove ação contra a exploração sexual infantil em parceria com a PRF e prefeituras

Compartilhe

Nesta segunda-feira (16), a Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades), em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e seis prefeituras do Estado, promoveram a Operação Parador: Ação de Mobilização Contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A equipe estadual do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) da Setades, foi uma das responsáveis pela organização e coordenação da ação.

A inciativa, de caráter conscientizador, aconteceu em sete postos da Polícia Rodoviária Federal no Espírito Santo, localizados nos municípios de Serra, Guarapari, Viana, Cariacica, Vila Velha e São Mateus. Servidores da Setades, de municípios parceiros e policiais rodoviários federais, participaram da abordagem de motoristas. Houve panfletagem e faixas com a temática.

A ação acontece em alusão ao “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, que acontece no dia 18 de maio. A data marca a luta e a conquista pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro e foi escolhida em memória de Araceli Cabrera Sánchez Crespo, uma menina de oito anos de idade que foi raptada, torturada, estuprada e assassinada, em Vitória.

O crime causou enorme revolta nacional, tendo como acusados, jovens de tradicionais famílias capixabas, que foram primeiramente condenados e depois absolvidos pela Justiça. O crime permanece sem solução até hoje.

Dessa forma, o objetivo da data é provocar a mobilização, sensibilização e informação de toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes. É dever do poder público ampliar e fortalecer as condições protetivas dessa população, a fim de garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

A violência sexual contra meninos e meninas ocorre tanto por meio do abuso sexual intrafamiliar ou interpessoal quanto na exploração sexual. Crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, por estarem vulneráveis, podem se tornar mercadorias e, assim, serem utilizadas nas diversas formas de exploração sexual como: tráfico, pornografia, prostituição e exploração sexual no turismo.

Leia também

Amostras de café passam por avaliação no 1º Concurso do Café Conilon de Jaguaré

  O primeiro Concurso de Qualidade do Café Conilon de Jaguaré realizou nesta quinta-feira, 30, a etapa de degustação...

Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 37 milhões

O concurso 2.495 da Mega-Sena, realizado nesta terça-feira (28) à noite no Espaço Loterias da Caixa em São...

Senado aprova MP que aumenta garantias para setor agro captar recursos

O Senado aprovou hoje (28) uma medida provisória (MP) que auxilia o setor rural na realização de operações...

PRESIDENCIÁVEIS: Cuidado social, parceria com a iniciativa privada e economia verde formam o tripé da proposta de governo de Simone Tebet

Pré-candidatos à presidência da República apresentaram suas propostas de governo em diálogo promovido pela Confederação Nacional da Indústria...

Governador confirma presença na inauguração da clínica de hemodiálise em Barra de São Francisco

A inauguração da Clínica Med.Álise Maura Maria de Paula foi confirmada pela empresária Josi Lopes e o prefeito...

Combate ao Aedes aegypti precisa ser mantido mesmo nos dias de inverno

  Com a chegada do inverno, que começou em 21 de junho, o número de casos de focos de dengue deve...

‘Luz na Infância’: operação contra pornografia infantil cumpre mandados em 13 estados e seis países

  Fase anterior da Operação Luz da Infância, em 2020 — Foto: IGP/Divulgação O Ministério da Justiça e Segurança Pública...