Espírito Santo promove capacitação para Fluxograma de Covid-19 em Pronto Atendimento

A Secretaria da Saúde (Sesa) realizou, nessa terça-feira (05) e quarta-feira (06), por meio da Atenção Especializada, evidenciando o cuidado desde Atenção Primária em Saúde à Urgência e Emergência, uma capacitação direcionada para os profissionais das Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) e Pronto Atendimento (PA’s), para aplicabilidade do Fluxograma para Atendimento Covid-19 em Pronto Atendimento aos pacientes com suspeita de Coronavírus. 

O objetivo da capacitação é subsidiar os profissionais dessas unidades no atendimento e encaminhamento dos pacientes de acordo com o fluxograma, para que a assistência seja realizada de forma única e uniforme, melhorando ainda mais a qualidade da assistência.

A capacitação foi realizada, de forma on-line, pelos médicos infectologitas Tânia Reuter, médica no Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam) e professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes); e Mayke Armani Miranda, médico de apoio da Regulação da Sesa. A capacitação qualificou diretores, médicos e enfermeiros das unidades localizadas na Região Metropolitana.

De acordo com a infectologista Tânia Reuter, o uso do fluxograma proporcionará mais agilidade no reconhecimento dos casos suspeitos de Coronavírus. “A sistemática do fluxograma dará celeridade na assistência aos pacientes e proporcionará mais agilidade no reconhecimento de casos suspeitos e que necessitam de internação hospitalar, antes que o paciente apresente a forma mais agressiva da doença”, informou Tânia Reuter

O Fluxograma de Atendimento foi elaborado pela Sesa, seguindo o protocolo de manejo do Coronavírus do Ministério da Saúde (MS). Ele apresenta quatro grupos para identificação e classificação dos sintomas dos pacientes: no primeiro estão os pacientes com sintomas leves e sem comorbidade, que receberão alta, com acompanhamento e monitoramento da Atenção Primária; o segundo grupo é formado pelos pacientes que precisam permanecer na unidade por cerca de 6 horas, em observação, para definição de alta ou necessidade de internação hospitalar; no terceiro grupo estão aqueles com identificação através de análise clínica, que necessitam de internação hospitalar; e o último e quarto grupo é considerado como estado grave, que necessita de hospitalização, em leito de internação intensiva. Fluxograma Atendimento Covid-19

Conforme o infectologista Mayke Miranda, para que os profissionais das Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) e Pronto Atendimento (PA’s), dos municípios fora da Região Metropolitana, e todos os profissionais da rede tenham também acesso ao treinamento, foi preparado um material em webpalestra, que logo estará disponível.

“Vamos disponibilizar esse material no site da Sesa e da Ufes para que todos os profissionais da Rede de Atenção à Saúde do Estado tenham acesso à capacitação. Além disso, vamos realizar as qualificações conforme forem acontecendo as atualizações do protocolo do Coronavírus. Todas elas serão disponibilizadas para toda a rede de saúde, por meio dos sites”, esclareceu o infectologista.


Leia mais

Leia também