Sesa explica importância de se realizar testes para a comprovação da Covid-19

Após um ano desde a confirmação do primeiro caso positivo do novo Coronavírus no Espírito Santo, os exames laboratoriais existentes para a comprovação da doença se mostram cada vez mais importantes, sendo utilizados por especialistas também como uma ferramenta para conhecer a Covid-19 e, consequentemente, planejar estratégias de enfrentamento.

Segundo o infectologista e referência técnica do Núcleo Especial de Vigilância Epidemiológica da Sesa, Raphael Lubiana Zanotti, o fato de a Covid-19 ser uma doença nova, “traz suas particularidades que precisam ser mais bem compreendidas”.

“Aprendemos, ao longo deste um ano de circulação da SARS-CoV-2, muitas coisas sobre o vírus, entre elas o desenvolvimento de algumas ferramentas para o diagnóstico da Covid-19. É uma doença muito nova, sistêmica e que tem como preferência (do vírus), como células alvos, as do sistema respiratório. Os testes de RT-PCR continuam sendo, desde o início, os mais sensíveis e de melhor capacidade de diagnóstico para os casos positivos”, explicou o infectologista.

Até esse domingo (07), o Espírito Santo já havia testado 317.967 mil por critérios laboratoriais, seja por testes de biologia molecular, como o RT-PCR, de imunológico ou por pesquisa de antígeno. Isso representa 94,9% (334.887 mil) dos casos confirmados no Estado.

Com resultados positivos, o Estado também consegue mensurar a taxa de positividade no território, um dos indicadores do comportamento da doença. “A positividade é uma medida indireta da circulação viral na população e está relacionada aos casos que se confirmam positivo por exames laboratoriais na comunidade. Quanto maior a positividade, entende-se que a circulação viral é mais alta, e quanto menor, significa que a circulação é menos intensa”, afirmou Zanotti.

Ao longo de 2020, o Espírito Santo realizou atualizações para a definição de casos de COVID-19 e critérios de coletas de exames diagnósticos, passando a disponibilizar a realização dos testes, com a capacidade de testagem do Laboratório Central (Lacen/ES), a toda população que apresente síndrome gripal.

O profissional aponta que essa ampliação é importante na estruturação de mais ações para o enfrentamento da doença, uma vez que a realização dos testes permite a tomada de ações preventivas, como o aconselhamento direto ao distanciamento de outras pessoas para quebrar a cadeia de transmissão. E a positividade permite aos especialistas conhecer características da transmissão local da doença.

“Estimulamos a realização da testagem por parte dos municípios, seja de quaisquer cidadãos que apresentem sintomas de síndrome gripal ou a perda de olfato e/ou paladar súbito, pois também é uma maneira de analisarmos a intensidade de transmissão da doença naquele local e, assim, elaborar medidas estratégicas e avaliar dados para o Mapa de Risco, por exemplo. Além disso, precisamos conhecer quem está positivo para poder isolar, testar seus contactantes e evitar que as pessoas transmitam”, disse.

 

Positividade

Com mais de 975 mil testes realizados e cerca de 335 mil casos confirmados, sendo 317.967 casos por confirmação laboratorial, o Estado apresenta uma taxa média de positividade, desde o início da pandemia da Covid-19 até fevereiro de 2021, de dois para um, com uma média de 35,8% de positividade. 

Entre os meses de agosto e outubro de 2020, o Espírito Santo apresentou uma queda sustentada no número de novos casos, confirmados também pela taxa de positividade. Em agosto, com mais de 90 mil testes realizados, a taxa de positividade era de 28,9%; em setembro caiu para 26%, chegando a 23% em outubro, com cerca de 126 mil testes.

Nos meses seguintes, foi observada uma nova ascensão de casos, o que também foi percebido com a taxa de positividade. Em novembro, a positividade subiu para 36,2%, tendo mais um aumento em dezembro, com 42,1%, com a realização de aproximadamente 130 mil testes.

Já em janeiro, mais uma diminuição é percebida em relação aos novos casos da Covid-19. Até o momento, o primeiro mês do ano apresenta uma taxa de positividade de aproximadamente 39,7%. Diminuição essa que segue no mês de fevereiro, com 35,3% de positividade. Vale ressaltar que os dados do mês de fevereiro ainda podem sofrer atualizações.

 

Critérios de coleta no Espírito Santo

Desde o início da pandemia do novo Coronavírus, o Governo do Estado trabalha para ampliar a capacidade de testes realizados e disponíveis pelo Sistema Único de Saúde.

Entre abril e setembro de 2020, a Vigilância Epidemiológica Estadual publicou cinco notas técnicas para a ampliação dos grupos de definições de casos operacionais para a testagem da Covid-19, com orientações aos municípios capixabas.

Na publicação mais recente, a Nota Técnica Nº 73/2020, datada de 21 de setembro de 2020, o Estado passou a assegurar a testagem aos casos suspeitos de todo cidadão que apresente sintomas de síndrome gripal, ou anosmia e/ou ageusia súbita sem relato de outros sintomas prévios.

Além disso, ainda em setembro de 2020, a Secretaria da Saúde definiu, por meio da Nota Técnica Nº 75/2020, o rastreamento e monitoramento de contatos de casos da COVID-19, com o objetivo de identificar e monitorar os contatos próximos de casos confirmados para assim poder identificar oportunamente possíveis casos em indivíduos assintomáticos e interromper a cadeia de transmissão da doença, diminuindo o número de novos casos.

Entretanto, com o aumento de novos casos, a Sesa determinou a suspensão temporária da testagem de contatos intradomiciliares assintomáticos da Covid-19 confirmados no final de novembro de 2020, voltando ao processo em janeiro de 2021.

Outra medida estratégica para garantir a testagem da população capixaba foi o credenciamento à rede estadual de laboratórios particulares, ainda em dezembro de 2020, que possibilitou a ampliação da capacidade de teste ofertados ao Sistema Único de Saúde.

  

Leia mais

Leia também