Servidores do Iema publicam artigo sobre qualidade do ar em revista científica

Com o título “Efeitos das medidas de afastamento social sobre a qualidade do ar na Região Grande Vitória”, o artigo de quatro servidores do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) foi aceito e publicado na Revista Brasileira do Meio Ambiente, importante publicação científica da área ambiental. O estudo avalia os efeitos das medidas de distanciamento social na qualidade do ar da Região da Grande Vitória e foi produzido pelos servidores Alex Barcellos Vieira, Iris Teixeira Cola, Douglas Rios Lougon e Pedro Ronchi.

“Esse artigo é oriundo de uma nota técnica que fizemos no Iema para avaliar os efeitos da pandemia na qualidade do ar. O trabalho ficou tão bom que resolvemos transformar essa nota técnica em um artigo científico para publicar em uma revista especializada”, explicou o servidor Alex Vieira, coordenador de Qualidade do Ar, Áreas Contaminadas e Informações Ambientais do Iema.

Vieira também falou sobre o processo de produção do artigo. “Para produzi-lo, demos um olhar mais acadêmico, com processo de validação por um corpo de revisores da academia. Eles avaliaram e revisaram se as informações tinham pertinência científica e relevância”, ressaltou.

O artigo surgiu a partir do relatório “Avaliação dos Efeitos das Medidas de Afastamento Social sobre a Qualidade do Ar na Região Grande Vitória”, publicado em junho passado. Para o estudo, foram selecionados os dias úteis de cenários meteorologicamente similares, antes e durante a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), para avaliar os impactos nas concentrações atmosféricas dos poluentes NO2 (dióxidos de nitrogênio), NO (óxidos de Nitrogênio), CO (monóxido de carbono), SO2 (dióxidos de enxofre), Partículas Inaláveis (MP10) e O3 (ozônio).

Os resultados apresentados indicam que a diminuição da circulação de pessoas e do tráfego de veículos e, em alguns casos, da produção industrial, devido à pandemia e suas medidas de distanciamento social, impactaram significativamente na qualidade do ar da Grande Vitória. Foi possível verificar a redução das concentrações de NO2 (-24%), NO (-65%), CO (-34%) e MP10 (-23%). Para o poluente SO2 foi verificado um aumento de 31% nas concentrações, enquanto que para o O3 não foi verificada diferença estatística entre os cenários avaliados.

Clique aqui e leia o artigo na íntegra.

Leia mais

Leia também