Sepultamento de vítima de coronavírus será restrito a seis pessoas no Cemitério São Marcos

José Motta era aposentado e tinha 70 anos. Ele estava internado, em isolamento, em uma UTI do Hospital Roberto Silvares desde o último dia 05 de abril

O velório e o sepultamento do aposentado, José Motta, de 70 anos, vítima de complicações causadas pelo novo coronavírus (Covid-19), acontecerá na tarde desta quinta-feira (30), no Cemitério São Marcos, em Nova Venécia.

Segundo informações, a cerimônia será restrita a seis familiares diretos, respeitando todos os limites exigidos de distanciamento social para evitar aglomerações, e uso de máscaras. O cemitério será fechado para a despedida.

O corpo de José Motta ainda não foi liberado do Hospital Roberto Silvares, onde ele faleceu no início da manhã desta quinta-feira (30). O translado será feito direto para o cemitério, em uma urna funerária lacrada.

Ainda de acordo com informações, os profissionais do Cemitério São Marcos já estão todos equipados com os EPIs exigidos, como máscaras e macacões.

O CASO

O aposentado, José Motta, de 70 anos, residia no bairro São Cristóvão, em Nova Venécia.

Ele estava internado, em isolamento, em um Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Roberto Arnizaut Silvares, em São Mateus, desde o último dia 05, quando procurou o Hospital São Marcos, em Nova Venécia, apresentando sintomas da Covid-19, como falta de ar.

José Motta era acompanhado pelo Gabinete de Monitoramento desde o último dia 02, assim que chegou de um velório de um familiar no Rio de Janeiro, onde ele contraiu o vírus. Ele possuía comorbidades, como diabetes, e fazia o uso diário de insulina.

Além de José Motta, outras três pessoas da mesma família contraíram o vírus. Todos eles já estão curados, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Fonte: redenoticiaes / Jhon Martins

Leia mais

Leia também