“Sentimento é de gratidão”, dizem familiares de amazonenses internados no Espírito Santo

Cerca de 4,5 mil quilômetros separam Manaus, Capital do Amazonas, da Serra, cidade do Espírito Santo onde 36 pacientes manauaras encontram-se desde a noite da última quinta-feira (21) para receber o tratamento médico adequado para a Covid-19.

Enquanto eles lutam pela vida em solo capixaba, seus familiares, do outro lado do país, aguardam ansiosos por notícias, divididos entre a saudade, a preocupação com a doença e a esperança na recuperação. Mas a tranquilidade, segundo eles, vem chegando aos poucos, à medida que têm a certeza de que seus entes queridos estão sendo bem cuidados.

“Nós estamos confiantes da recuperação dele e com um sentimento de gratidão imensa”, diz Eduardo da Silva Ramos, que do Amazonas acompanha a situação do pai, Aluízio Dias Ramos, de 61 anos, que está internado no Hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra.

Aluízio tem quadro grave. Os pulmões estão comprometidos pela doença, que foi agravada por uma pneumonia. Com problemas cardíacos, ele teve na transferência para o Espírito Santo o que não recebeu em Manaus: oxigênio.

Aluízio Dias Ramos chegou ao Espírito Santo para receber o tratamento contra a Covid-19.

Aluízio Dias Ramos chegou ao Espírito Santo para receber o tratamento contra a Covid-19.

“Falta material, falta suprimento básico para se trabalhar. É muito difícil. Ele já estava precisando de ventilador mecânico. A gente sabe que se não tivesse ventilador mecânico, ele seria entubado e não teria UTI (em Manaus)”, contou Eduardo em entrevista à TV Gazeta.

Com a ajuda financeira de amigos, Tiago Augusto Barreto de Oliveira veio de Manaus para o Espírito Santo para acompanhar o pai Altamir durante sua internação. Nesta sexta-feira (22), ele viu o pai pela primeira vez.

“Foi uma sensação de alívio e, ao mesmo tempo, fiquei muito emocionado porque realmente achei que tinha perdido ele. Mas, graças a Deus, deu tudo certo”, diz o bacharel em Direito.

Para Tiago, tanto o apoio dos amigos, quanto a oferta de leitos no Espírito Santo para os manauaras são uma prova de que sua família não está sozinha. Independentemente do estado, os brasileiros estão juntos para salvar vidas.

O mesmo sentimento é compartilhado por Eduardo. “O que o estado do Espírito Santo fez e vem fazendo é surreal. É muito gratificante mesmo”, pontua.

“É incrível saber que o brasileiro é assim, que ele estende a mão para o próximo que precisa. É uma maravilha, é surreal”, ressalta ele.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), dos 36 pacientes do Amazonas que foram transferidos para o Espírito Santo, 27 encontram-se internados na UTI e outros nove na enfermaria do hospital Jayme dos Santos Neves.


Leia mais

Leia também