Senado deve discutir projeto que limita ICMS nos combustíveis, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo

Compartilhe

O preço dos combustíveis ainda será assunto esta semana no Senado Federal. O presidente da casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), anunciou na semana passada que deve votar diretamente em plenário o PLP 18/2022, que limita o ICMS de combustíveis, energia elétrica, gás natural, telecomunicações e transportes coletivos.

O relator da matéria, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), tenta construir um texto que agrade o Ministério da Economia, os estados e o Congresso. Durante o final de semana, o senador teve uma série de reuniões para chegar a um ponto de convergência no projeto.

“Senti disposição por parte dos secretários de Fazenda em negociar e eu agora estou com as informações para poder iniciar uma rodada de conversações com a equipe econômica”, explica.
Uma das alternativas que agrada aos governadores é a criação de um fundo para compensar os estados que diminuírem o ICMS. Dependendo da compensação, o ICMS pode até ser zerado.  
Para o senador Jean Paul Prates (PT-RN), é preciso pensar em outras alternativas para reduzir o preço dos combustíveis. Só a questão do ICMS não vai causar impacto, na visão dele.

“Acho que a dimensão tributária tem um alcance de minuto. A gente está falando de uma diminuição de 10 a 18 centavos de diminuição no valor da gasolina. Quer dizer, estamos nesse movimento todo para 10,18 centavos na gasolina. A gente pode evoluir para outras dimensões também”, sinaliza o Senador.
 

Câmara

Esta semana, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), deve acompanhar o presidente Jair Bolsonaro na viagem aos EUA para a Cúpula das Américas.
A atenção deve se voltar às comissões da casa. Na Comissão de Minas e Energia, os deputados devem discutir a situação da distribuidora de energia de Goiás, a Enel. Os deputados devem esclarecer rumores de que a empresa italiana planeja vender a distribuidora. 

Na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, os deputados convocaram uma audiência pública com o ministro da Defesa, General Paulo Sérgio. Ele foi convidado para prestar esclarecimentos sobre a compra de mais de 11 milhões de comprimidos para tratar disfunção erétil. 

Foto: Edilson Rodrigues/Agência SenadoFoto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Leia também

MDR repassa R$ 5,1 milhões para a continuidade de obras de saneamento em nove estados

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), vai repassar R$ 5,1 milhões para a...

Vacinação contra a gripe é ampliada para toda população capixaba

  Já está válida em todo Espírito Santo a ampliação para a população em geral da vacinação contra a...

É hoje! Quina de São João terá premiação recorde de R$ 200 milhões

Com a premiação estimada em mais de R$ 200 milhões, a Quina de São João 2022 (concurso número...

Maior bactéria do mundo é descoberta em manguezal no Caribe

SÃO CARLOS, SP (FOLHAPRESS) - Não há nada mais natural do que chamar as bactérias de "micróbios", ou...

Polícia Civil prende casal suspeito de falsificar documentos para criminosos

O Departamento Especializado de Investigações Criminais (Deic), em ação conjunta com a Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC), prendeu,...

Mônica Martelli recebe alta após quatro dias internada no RS

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A atriz Mônica Martelli, de 44 anos, teve alta do hospital Santa Casa...

Vacinação contra gripe e sarampo

A gripe é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. Ela é provocada pelo vírus da influenza e...

MDR reconhece a situação de emergência em mais oito cidades afetadas por desastres

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), reconheceu, nesta segunda-feira (27), a situação de...