Senado aprova proposta que permite renegociação de débitos fiscais para empresas no Simples

O Senado aprovou na última terça-feira (16) uma proposta que permite ao Governo Federal parcelar as dívidas fiscais de micro e pequenas empresas enquadradas no Simples Nacional. De acordo com o Projeto de Lei Complementar (PLP), as empresas vão poder negociar os débitos em fase de cobrança administrativa, já inscritos na dívida ativa e em cobrança judicial.

O PLP 9/2020 segue para sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro, e tem o objetivo de ajudar pequenos empreendimentos atingidos pela pandemia do novo coronavírus. O texto estende às empresas enquadradas no Simples Nacional os benefícios da Lei do Contribuinte Legal. Entre as vantagens estão: descontos de até 70% sobre multas, juros e encargos e prazo de até 145 meses para pagamento da dívida. No caso dos maiores negócios, o desconto é de 50% e o prazo é de 84 meses.

É importante lembrar que a lei não vale para os débitos de ICMS e ISS, cuja cobrança cabe aos estados e municípios. De acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), cerca de 3,5 milhões de contribuintes inscritos em dívida vão poder ser beneficiados.

Senado Federal

Leia mais

Ações de apoio à população idosa vulnerável terão verba de R$ 4 bilhões

Coletiva de imprensa sobre o Plano de Contingência de Vulneráveis na COVID-19, com foco na pessoa idosa –...

Mais de 150 mil indígenas foram beneficiados com auxílio emergencial

Entre os mais de 66 milhões de brasileiros contemplados pelo auxílio emergencial de R$ 600, cerca de 151 mil são indígenas. O quantitativo refere-se...

Câmara deve votar auxílio ao transporte público nesta terça (11)

A Câmara dos Deputados deve votar nesta terça-feira (11) o projeto de lei (PL) que cria o auxílio emergencial de R$ 4 bilhões para...

Leia também