Seminário Internacional discute o aprimoramento de políticas públicas voltadas à primeira infância

Seminário Internacional discute o aprimoramento de políticas públicas voltadas à primeira infância

O ministro Onyx Lorenzoni durante a abertura do III Seminário Internacional do Criança Feliz. Foto: Rafael Carvalho

Para discutir ações de fortalecimento à primeira infância, período considerado fundamental para o desenvolvimento pleno de uma criança, o Ministério da Cidadania deu início, nesta terça-feira (1º), ao 3° Seminário Internacional do Criança Feliz.

Com o tema “A qualificação das ações do programa Criança Feliz e o impacto nas políticas de atendimento à primeira infância, desafios e oportunidades”, o evento, que segue até o dia 3 de dezembro, tem como objetivo propor estratégias estruturais para a promoção do desenvolvimento infantil e do fortalecimento de vínculos, por meio da qualificação das ações do Criança Feliz, levando em consideração os diferentes contextos socioeconômicos, geográficos e culturais.

“É na primeira infância que vamos transformar e mudar a história familiar, trazer novos conceitos para as famílias. Precisamos cuidar das nossas crianças, que são o futuro do país, essa parte é vital e importante e não pode ser perdida. Vamos motivar novos municípios a aderir a esse programa e em 2021 chegaremos a 2 milhões de crianças atendidas”, afirma o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni. Também participaram da solenidade de abertura a secretária Nacional de Atenção à Primeira Infância, Luciana Siqueira, o representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Morgan Doyle, a representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) no Brasil, Florence Bauer, e o coordenador residente das Nações Unidas no Brasil, Niky Fabiancic.

Desde o início do programa, mais de um milhão de crianças e gestantes foram atendidas em 2.918 municípios de todas as regiões do país. “Agradeço ao governo do presidente Bolsonaro, à primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e ao ministro Onyx Lorenzoni por terem o Criança Feliz como pauta prioritária. Tenho certeza de que, por meio desse programa, podemos mudar o destino do nosso país”, frisa a secretária Nacional de Atenção à Primeira Infância do Ministério da Cidadania, Luciana Siqueira.

Parceiros mundiais

“É um orgulho poder contribuir com todos vocês. Sabemos do impacto positivo que o programa traz para a vida de todas as crianças brasileiras atendidas e é importante aperfeiçoarmos essa integração. A primeira infância é um estágio crítico, com maior plasticidade do cérebro e é nesse momento que devemos garantir um desenvolvimento bem-sucedido para as crianças”, ressalta o representante do BID, Morgan Doyle.

Os impactos da Covid-19 na vida das crianças e adolescentes foram trazidos no evento pela representante do Unicef no Brasil, Florence Bauer. “A primeira infância garante essa oportunidade de janela única. As crianças e adolescentes foram fortemente afetados. Na primeira infância, os impactos são ainda mais profundos e é por isso que esse público precisa ser priorizado”, pontua. “O Criança Feliz é reconhecido mundialmente pela sua atuação e oferece a oportunidade única de investir nessa fase da vida. Queremos auxiliar na expansão dessa política pública que chega aos mais vulneráveis e traz imensos benefícios para a população.”

O evento

O 3º Seminário Internacional conta com diversas mesas temáticas, que serão transmitidas ao vivo pela internet. No primeiro dia, a programação trata da importância da agenda da primeira infância e reúne apresentações dos estados de São Paulo e do Pará, demonstrando o papel que exercem como gestores, articuladores e multiplicadores. Já os municípios de Esteio (RS), Tocantínia (TO), Sabará (MG), Iguaracy (PE) e Corumbá (MS) farão relatos das experiências com o Criança Feliz.

No segundo dia do seminário, uma mesa especial tratará sobre a importância de se investir no desenvolvimento da primeira infância. Parceiros como o Banco Mundial, o BID, a Fundação Bernard Van Leer, a Fundação Lego, a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e a ONU farão apresentações.

Em seguida, serão discutidos os serviços integrados voltados para o desenvolvimento infantil, com apresentação de convidados de países como Chile, Peru, Holanda, Colômbia e Equador. Na mesa sobre as inovações em entrega de serviço, os convidados serão da Argentina, dos Estados Unidos, da Jamaica, da Guatemala e da Índia.

Leia mais

Leia também