Seminário internacional debaterá fortalecimento das ações do Criança Feliz

Seminário internacional debaterá fortalecimento das ações do Criança Feliz

O objetivo do seminário é propor estratégias estruturais para a promoção do desenvolvimento infantil e do fortalecimento de vínculos Foto: Agência Brasília

Entre os dias 1º, 2 e 3 de dezembro, o Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Nacional de Atenção à Primeira Infância, promove em Brasília (DF) o III Seminário Internacional – A Qualificação das Ações do Programa Criança Feliz e o impacto nas políticas de atendimento à primeira infância: desafios e oportunidades.

O evento contará com a participação de representantes da Organização das Nações Unidas (ONU), de 12 países do Programa Conjunto Fundo Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, do Banco Mundial e de fundações ligadas à infância, além de coordenadores estaduais e parceiros do programa Criança Feliz, governadores e secretários estaduais e municipais de Assistência Social.

O objetivo do seminário é propor estratégias estruturais para a promoção do desenvolvimento infantil e do fortalecimento de vínculos, por meio da qualificação das ações do Criança Feliz, levando em consideração os diferentes contextos socioeconômicos, geográficos e culturais. Para isso, o evento contará com diversas mesas temáticas, que serão transmitidas ao vivo pela internet.

“Teremos parceiros nacionais, que executam o programa nos municípios e nos estados, e os parceiros internacionais, que vão compartilhar conosco suas experiências com a execução de políticas públicas voltadas para a primeira infância”, destaca Luciana Siqueira, secretária nacional de Atenção à Primeira Infância, do Ministério da Cidadania.

“Teremos parceiros nacionais, que executam o programa nos municípios e nos estados, e os parceiros internacionais, que vão compartilhar conosco suas experiências com a execução de políticas públicas voltadas para a primeira infância”, destaca Luciana Siqueira, secretária nacional de Atenção à Primeira Infância, do Ministério da Cidadania

Programação

No primeiro dia, a programação tratará sobre a importância da agenda da primeira infância e o panorama do Criança Feliz no Brasil. Também terão apresentações dos estados de São Paulo e do Pará, demonstrando o papel que exercem como gestores, articuladores e multiplicadores. Já municípios como Esteio (RS), Tocantínia (TO), Sabará (MG), Iguaracy (PE) e Corumbá (MS) farão relatos sobre a experiência com o programa.

Na mesa de trabalho que discutirá as propostas de aprimoramento do programa, serão abordados cinco eixos temáticos: a informatização do Criança Feliz, com o uso da tecnologia no atendimento às famílias; a promoção da parentalidade, do desenvolvimento infantil e do fortalecimento de vínculos nos diferentes modelos de atendimento; a integração do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) com o Criança Feliz nos diferentes modelos de gestão; o financiamento do programa; e a educação permanente, com a formação por diferentes níveis e módulos.

No segundo dia, uma mesa especial tratará da importância de se investir no desenvolvimento da primeira infância. Para isso, terá a participação de grandes parceiros do Criança Feliz, como o Banco Mundial, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Fundação Bernard Van Leer, a Fundação Lego, a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e a ONU. Em seguida, serão discutidos os serviços integrados voltados para o desenvolvimento infantil, com apresentação de convidados de países como Chile, Peru, Holanda, Colômbia e Equador. Por fim, na mesa sobre as inovações em entrega de serviço, os convidados serão da Argentina, dos Estados Unidos, da Jamaica, da Guatemala e da Índia.

No terceiro e último dia, será promovida uma plenária com os participantes das mesas de trabalho nacionais e internacionais, com apresentação pela relatoria do que foi discutido.

Criança Feliz

O programa Criança Feliz completou quatro anos em outubro de 2020 e, desde o início das atividades, fez mais de um milhão de visitas. São mais de 898 mil crianças, 881 mil famílias e 202 mil gestantes atendidas em 2.783 municípios de todas as unidades federativas do Brasil.

“A primeira infância é uma fase muito importante em que a criança tem um desenvolvimento muito rápido e uma boa plasticidade cerebral. Então, investir na criança nesse período é uma janela de oportunidade que depois a gente não vai ter mais. A gente precisa entender que, se esse período for de bons estímulos, de saúde e de fortalecimento da parentalidade, a criança vai ser mais saudável, produtiva, ativa e feliz”, reforça a secretária nacional.

Com informações do Ministério da Cidadania

Leia mais

Leia também