Sem varrição e capina há 3 meses, Ecoporanga sofre novamente com acúmulo de lixo nas ruas

O município de Ecoporanga, convive com uma situação que se arrasta há pelo menos três meses, esse mesmo problema a população vem sofrendo todos os anos, sem varrição e capina, devido a uma falta de entendimento entre Prefeitura e a empresa responsável pelo serviço, que teve seu contrato rescindido após o falecimento do dono da empresa, deixando os servidores na mão sem receber, e a cidade acumulando lixo pelas calçadas e ruas. Moradores reclamam do mau cheiro e da sujeira nos principais bairros e centro da cidade.

O problema teve início no dia 16 de novembro de 2020, após as eleições, quando aconteceu a rescisão do contrato por motivo do falecimento do dono da empresa LINFASO CONSTRUTORA LTDA – EPP Sr. Adilson de Sousa Ferreira falecido, e com isso deixando os funcionários da empresa sem receber, segundo informações que estão chegando, alguns desses funcionários estão passando necessidade, e sem esperança de receber, aproximadamente são um total de 45 pessoas.

Neste final de semana a equipe de reportagem do site Agitaeco esteve em algumas ruas da cidade e encontrou vias públicas utilizadas como depósitos de lixos e muito mato pelas ruas, bueiros cobertos pelo mato, prejudicando o  escoamento de água da chuva.

E pelo visto, essa situação deve perdurar por um bom tempo, pois de acordo com as informações no site da Prefeitura, não consta nenhum aviso ou previsão de uma nova licitação para resolver o problema do lixo na cidade. Entramos em contato com um dos funcionários da prefeitura que trabalha na área de licitação, e foi nos informado que a mesma já está em fase de preparação, após concluído, irá para ser submetido ao levantamento de preços, informando que até o fim do mês de fevereiro poderá ficar pronta a licitação.

 

Leia mais

Leia também