Sem pagamentos há mais de dois meses, vários funcionários do hospital Fumatre poderão entrar em greve

 

O final de semana pode ser decisivo para a saúde de Ecoporanga. Com informações de um funcionário do hospital Fumatre que por medo de perseguição preferiu não se identificar.

O município de Ecoporanga, como em todo o Brasil, ainda está lutando contra o Covid-19, trabalhadores da saúde lutam para salvar vidas, mas sem receber seus salários há mais de dois meses, vários funcionários do hospital Fumatre estão decididos a iniciarem uma greve, o que causaria um colapso na saúde do município. Sem poucas condições de trabalho que chegam a ser precárias, o funcionário relatou que muitos estão com aluguéis e contas em banco atrasados, pagando juros em cima de juros. Há poucos dias o bioquímico responsável do hospital pediu conta e deixou o serviço, no momento a entidade está somente com um técnico em laboratório.

Há poucos dias noticiamos o atraso do pagamento, de acordo com as informações, nada foi feito por parte da direção, ou se quer conversado com os funcionários, muitos desses nem conhecem os mandatários do hospital.

Um caso chamou a atenção em uma sessão na Câmara Municipal de Ecoporanga. Segundo site agitaeco, o parlamentar Eduardo Muqui pediu para ter conhecimento da cópia do contrato que a prefeitura tem com o hospital, sabendo que se a maioria dos vereadores votarem a favor, seria a Câmara Municipal pedindo ao executivo as informações, com uma força maior, mas a maioria dos parlamentares votaram contra, achando sem necessidades das informações. Somente os vereadores João Batista, Nivaldo Toledo e o próprio Eduardo Muqui votaram a favor.

A prefeitura de Ecoporanga, por meio da Assessoria de Imprensa, informou no dia 23 de fevereiro, que o contrato do termo de parceria entre Fumatre e Prefeitura venceu no último dia 31 de dezembro de 2020, e por conta disso, uma renovação de contrato seria necessária para que o repasse da verba pudesse continuar, porém, algumas certidões por parte do hospital não estão regularizadas.

 

 

Leia mais

Leia também