Sem luz: Camburi e outros 12 pontos de Vitória vão ficar às escuras até o fim de março

A orla de Camburi está com um trecho sem iluminação

Os moradores de 13 regiões em Vitória precisarão ficar mais atentos nas próximas semanas. Isso porque há trechos sem nenhuma iluminação. O motivo é o roubo de fios de energia, que deixaram pontos da cidade às escuras. E, por enquanto, por causa de problemas no contrato de manutenção da iluminação pública da Capital, o problema só deve ser resolvido no final deste mês, segundo a prefeitura.

Para se ter uma ideia, na orla de Camburi, por exemplo, da pista de skate até a entrada para o bairro Jardim Camburi, nenhum poste está funcionando.

Veja os 13 locais com trechos sem luz em Vitória:

Avenida Adalberto Simão Nader
Avenida Dante Michelini
Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes
Avenida Saturnino de Brito
Avenida Américo Buaiz
Rua José Miranda Machado
Rua Marília de Rezende Scarton Coutinho
Pontos da orla da Enseada do Suá
Pontos da Praça do Papa
Viaduto Caramuru
Escadaria Acyr Guimarães
Curva da Jurema
Praça do Papa

O secretário de Transporte, Trânsito e Infraestrutura Urbano de Vitória, Alex Mariano, explicou que a secretaria tem trabalhado o mais rápido possível para estabelecer um novo contrato e restaurar a iluminação na região.

“Nosso objetivo é ter até o final de março a licitação assinada. Estamos também produzindo um documento, para ser encaminhando à Procuradoria do município, solicitando a liberação de uma licitação emergencial para adiantar o processo”, pontuou.

Atualmente a PMV tem um contrato fixado com a empresa Ative Engenharia, que foi firmado na gestão anterior. De acordo com Alex Mariano, o contrato atual não se sustenta, já que a empresa, para ganhar a licitação, ofereceu um preço muito abaixo do necessário para fazer a manutenção. A Setran disse que chegou a oferecer um aditivo ao contrato da Ative Engenharia (um valor a mais para a contratada), mas a empresa recusou.

O contrato atual, firmado em agosto 2020, prevê o gasto de R$ 2,273 milhões anuais. Desse valor, R$ 2,135 milhões eram usados para acerto de lâmpadas e reatores. Ainda de acordo com a pasta, o contrato atual será rescindido e a empresa poderá ser punida.

A empresa, por meio de nota, afirmou que encaminhou à PMV uma manifestação apresentando os argumentos para não assinatura, mas não obteve resposta e não recebeu nenhum comunicado que o contrato seria rescindido.

Confira a nota na íntegra da empresa Ative Engenharia:

Sobre os problemas apresentados no sistema de iluminação da Orla de Camburi e em outras regiões, citados pela Setran, informamos que os mesmos foram causados por atos de vandalismo seguidos de furtos de cabos. O sistema de iluminação destes locais não foi reestabelecido por falta de quantitativo no contrato e não devido ao valor ofertado pela empresa. Fato dizer que os itens da planilha que hoje estão com seu saldo esgotado já foram executados pelo preço ofertado sem qualquer questionamento por parte da contratante.

A respeito da proposta de aditivo contratual, após análise de nosso corpo jurídico, encaminhamos nossa manifestação à Setran demonstrando nossos argumentos para não assinatura do mesmo e até o momento não obtivemos resposta.

Informamos também que não recebemos qualquer comunicado oficial de rescisão contratual por parte da contratante.

Vale salientar que a empresa mantém todos os serviços previstos em contrato, que possuem saldo de quantitativo, executando-os conforme estabelecido no mesmo.

Mais informações podem ser obtidas solicitando vistas aos processos, de acesso aberto ao público, devidamente protocolizados junto a Prefeitura.

Prejuízo

Vitória tem aproximadamente 33 mil pontos de luz e, para arcar com os custos das trocas de lâmpadas e reatores, serão gastos aproximadamente R$ 180 mil mensais. O valor do prejuízo dos cabos furtados pode chegar a R$ 500 mil.

Sobre a segurança das pessoas que circulam pelos locais, o secretário contou que foi solicitado à Guarda Municipal o reforço da circulação dos agentes nas regiões para garantir a proteção. Além disso, ele destacou que desde janeiro deste ano, 17 pessoas já foram presas, sendo 15 furtando fios e dois atuando como receptadores do material roubado.

Sobre a nova licitação, Mariano explica que a empresa será responsável por “envelopar” as caixas de passagens dos fios. “Isso dificultará o suspeito de mexer e roubar. Além disso, o novo contrato vai trabalhar com a margem de serviços que podem surgir ao longo da vigência e nem sempre são previstos.”

Caso a população veja alguém praticando algum furto de fios pode ligar para o telefone da Polícia Militar 190 e denunciar.

Informações: Folha Vitória

 

Leia mais

DOIDA É VOCÊ

Leia também