Sem acordo, pais acionam a Justiça e aguardam aprovação de lei que prevê redução em mensalidades, no ES

Com a suspensão das atividades escolares presenciais, a redução da mensalidade em escolas particulares do Espírito Santo tem sido discutida como uma saída para que os alunos possam continuar matriculados. Nos casos em que pais e escolas não entraram em acordo, há a expectativa para que um projeto de lei estadual seja aprovado para garantir o desconto.

O Projeto de Lei (PL) 206/2020, do deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) que prevê a aplicação de um desconto mínimo de 30% durante o período de pandemia, tramita na Assembleia Legislativa (Ales) e foi aprovado nesta segunda-feira (18) pela Comissão de Educação com algumas modificações no texto.

A matéria ainda aguarda análise das Comissões de Saúde, Defesa do Consumidor e Finanças. Com o parecer favorável, o texto vai para votação no plenário e se aprovado, segue para análise do governador Renato Casagrande, que pode vetar ou sancionar.

A medida beneficiaria famílias como a da analista de sistema Rafaela Spinassé. Há 2 meses, as aulas do filho dela são on-line. No computador de casa, o pequeno Benício acompanha as atividades propostas pelos professores. Mas, mesmo com o suporte da escola, a mãe acha injusta a cobrança integral da mensalidade.

“Aquilo que foi contratado no início do ano a gente não está tendo hoje. Seja o espaço físico da escola – quando contratamos, foi o uso de quadro, laboratório de informática, laboratório de ciências, e hoje a gente não faz uso disso – além da própria educação. Nós não contratamos o ensino on-line, nós contratamos o ensino presencial”, disse.

A escola enviou um comunicado aos pais informando que, durante a pandemia, não teve nenhuma redução de custos. Também informou que, por oferecer as aulas à distância, não há necessidade de redução nas mensalidades.

Na falta de um acordo, Rafaela e outros pais formaram uma comissão para buscar solução através da Justiça.

“A gente entrou com uma reclamação no Ministério Público, ela já está em processo. Entramos no Procon e no Núcleo de Mediação. Agora a gente está aguardando algum resultado”, explicou.

Diálogo

Diante do impasse que ainda pode levar tempo para ser solucionado, o advogado e pós doutor em direito civil Thiago Simões acredita que a combinação entre negociação e diálogo ainda é a melhor saída.

“Caso o projeto não seja transformado em lei, é importante que os pais e as escolas sentem, busquem uma negociação e, a partir daí, estabeleçam uma nova realidade”, disse.

Foi o que fez a escola onde estuda o filho do diretor de arte Gustavo Zamboni, que não precisou brigar para reduzir o custo. A própria instituição ofereceu 30% de desconto, que o pai considerou justo.

“Eles mesmo já propuseram reduzir em 30%, que é um valor que eu considero honesto, afinal de contas, todos nós temos custos”, opinou.

Thiago Simões ainda destacou que um consenso entre pais e escolas se faz essencial para que não haja prejuízos ainda mais graves para a educação das crianças.

“Nós temos que pensar que muito do que vai vir a acontecer no futuro é um grande número de pais tirando seus filhos da rede privada e levando para a rede pública. O grande número de demandas vai fazer com que muitas dessas pessoas fiquem sem escola”, disse.

Sindicato

Procurado, o advogado do Sindicato das Escolas Particulares do Espirito Santo disse que o projeto é inconstitucional. Segundo ele, o estado não tem competência para legislar sobre essa matéria, pois já existe lei federal que trata do assunto.

Procon

Já a orientação do Procon é de que as escolas abram canais de diálogo com os pais de alunos, apresentem as planilhas de custos e façam a readequação financeira do contrato, oferecendo descontos se não estiver cumprindo o contrato.

Fonte: g1

 

Leia mais

Com apoio do Itamaraty, 22,5 mil brasileiros já retornaram ao País

Voo humanitário de repatriação: Lima – São Paulo – Foto: MRE ...

Funai distribui mais de 340 mil cestas de alimentos a povos indígenas

As entregas envolvem recursos próprios, doações e parcerias com outros setores do governo federal Foto: Funai Com o objetivo de garantir a segurança alimentar dos...

Governo Federal suspende parcelas de financiamentos do FGTS para empresas de saneamento básico

Com a medida, a Caixa Econômica Federal fica autorizada a suspender os pagamentos até outubro de 2020 ...

Pinaffo Material de Construção distribui máscaras para a população

A loja Pinaffo Material de Construção, de Nova...

Leia também

Batida frontal entre caminhão e van deixa 12 mortos e 1 ferido em MG

Van que se envolveu no acidente em Patos...

Incêndio provoca destruição em fazenda de comerciante de Água Doce do Norte

Um grande incêndio tirou o sono de diversos moradores e agricultores de Água Doce do Norte na noite deste sábado, 19 de setembro de...

Adolescente de 14 anos sofre ameaça de estupro em Água Doce do Norte

  Na manhã da última sexta-feira, 18 de setembro de 2020, uma jovem de apenas 14 anos, moradora do distrito de Santo Agostinho, deu entrada...

ES: criança sobrevive após cair de sexto andar de prédio

Uma criança de cinco anos caiu do sexto andar de um prédio na região de Jacaraípe, na Serra. De acordo com o síndico do...