Segundo turno da eleição presidencial no Equador será no próximo domingo


O Equador vive os últimos dias da campanha eleitoral para o segundo turno das eleições presidenciais, no próximo domingo, 11 de abril. Os dois candidatos são o progressista Andrés Arauz, da coalizão progressista Unión por la Esperanza (UNES), e o conservador Guillermo Lasso, da aliança de centro-direita CREO-Partido Social Cristiano.

A campanha do segundo turno, iniciada no dia 16 de março, terminará na próxima quinta-feira (8). O presidente eleito governará o Equador  a partir de 24 de maio deste ano até até 2025. 

O plano de governo da União para a Esperança visa resgatar a democracia, o Estado plurinacional e intercultural, a dignidade, o trabalho, uma estrutura econômica e produtiva sustentável e a soberania para a construção da sociedade do bem viver. 

Para impactar esses setores, a proposta inclui trabalho decente para todos; oportunidades para jovens; saúde e educação gratuitas, universais e de qualidade; renda básica e maior acesso à cobertura previdenciária, além de moradia funcional em ótimas condições.

Reativar a economia com medidas concretas de estímulo e, principalmente, dar importância ao setor agrícola para garantir alimentos de qualidade e cuidar do meio ambiente, também são prioridades.

Por sua vez, a agenda de Lasso fala em gerar mais empregos, reativar economia, melhorar saúde e educação, entre outras promessas, que para muitos não se concretizam porque identificam aquele candidato à presidência como protagonista do neoliberalismo. 

Poucos dias antes do segundo turno das eleições presidenciais, os adversários viajam pelo país e usam as mídias digitais para tentar atrair indecisos que não votaram ou que apoiaram outros candidatos.

No primeiro turno, Arauz alcançou 32,72% dos votos válidos e Lasso 19,74%, inform a Prensa Latina.

Andrés Arauz, candidato das forças progressistas no Equador

Andrés Arauz, candidato das forças progressistas no Equador (Foto: Twitter/Andrés Arauz)

Leia mais

Leia também