SEDH recebe representantes da Central Única das Favelas do Espírito Santo

A secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo, recebeu representantes da Central Única das Favelas do Espírito Santo (CUFA ES) para uma reunião na manhã dessa quarta-feira (03). No encontro foi apresentado o projeto Taça das Favelas, um evento esportivo social que já acontece em vários estados do país e que vai ter a primeira edição no Estado.

Para além do futebol, o projeto vai trazer ações transversais voltadas para saúde, educação, cultura e geração de renda, focadas para meninos e meninas, adolescentes e jovens das favelas e periferias. A secretária Nara Borgo se mostrou positiva quanto ao projeto e disse que o Governo do Estado pode somar esforços por meio do Programa Estado Presente em Defesa da Vida.

“O projeto é muito interessante, sobretudo porque trabalha com as juventudes é de grande importância. No Governo, a SEDH é responsável pelo eixo social do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, atuando em 140 bairros e 10 municípios, locais com os maiores índices de homicídios, roubos e latrocínios. Temos parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio da qual trabalhamos com projetos para as juventudes, como os Centros de Referência das Juventudes, por exemplo, que tenho certeza de que serão de grande importância para a CUFA. Outros projetos do eixo social também podem somar à Taça das Favelas”, disse a secretária.

O presidente da CUFA do Espírito Santo, Gabriel Costa avaliou que “a reunião foi muito importante para aproximar institucionalmente as ações desenvolvidas pela CUFA, com as ações desenvolvidas com a Secretaria de Direito humanos, uma vez que os temas convergem, e a interlocução da secretária com as demais pastas vai possibilitar que possamos colher ótimos frutos”, disse.

Programa Estado Presente

O Programa Estado Presente em Defesa da Vida é um conjunto articulado de políticas públicas, envolvendo Secretarias e Órgãos da Administração Estadual, criado e implantado no período 2011-2014 e retomado em 2019. O seu objetivo é reduzir os índices de violência e criminalidade, com foco especialmente em crimes letais – homicídio, feminicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

O Projeto Segurança Cidadã faz parte do escopo do Estado Presente e visa a contribuir para a redução dos elevados índices de crimes violentos (homicídios e roubos) em municípios com maior vulnerabilidade social do Estado, por meio de ações que objetivam o aumento da efetividade da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), Polícias Civil, Militar e Técnico-Científica no controle e investigação de crimes violentos; o incremento das oportunidades de inclusão social com foco nos jovens de 15 a 24 anos em condições de risco à violência; além da redução da reincidência da população jovem em conflito com a lei.

 

Leia mais

Leia também