Secretaria Municipal de Educação seleciona professor para coordenar ações do Pacto para Aprendizagem no Espírito Santo

A prefeitura de Nova Venécia, por meio da Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Sedu), representada pela Superintendência Regional de Educação (SRE), concluiu o processo de seleção para escolha de um servidor para exercer a função de Professor Municipal Coordenador das ações do PAES, no município.

O processo, que contou com diversas etapas, desde análise do currículo à elaboração de Plano de Ação e entrevista, selecionou a servidora Maria da Penha Pansiere por atender os requisitos propostos pela função pleiteada.

Durante a entrevista, a superintendente, Adriana Bonatto Merlo, falou da importância do regime de colaboração entre estado e município. “O Pacto vem fortalecer a parceria entre os entes”.

Já a secretária de Educação, Wanessa Zavarese Sechim, vê a parceria com otimismo. “O Pacto vem ao encontro das ações da Secretaria e ter essa representatividade do professor coordenador reforça amplamente nossos objetivos de aprendizagem”.

O Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo (PAES), foi instituído pela Sedu por meio da Lei Nº 10.631, de 29 de março de 2017, e tem por objetivo viabilizar e fomentar o regime de colaboração entre as redes estadual e municipal de ensino a partir do diálogo permanente e ações conjuntas voltadas ao fortalecimento da aprendizagem e à melhoria dos indicadores educacionais dos alunos, das unidades de ensino e das referidas redes da educação básica no Espírito Santo, envolvendo domínio de competências de leitura, escrita e cálculo, adequados a cada idade e escolarização nas duas primeiras etapas de ensino da educação básica. O Regime de Colaboração do PAES abrange três áreas: planejamento e suporte, gestão e fortalecimento da aprendizagem.

Entre as funções do professor coordenador, estão presentes ações para garantir a execução do Pacto, como elaborar o Plano de Ação anual do Programa; produzir relatório mensal das atividades, participar de reuniões, planejamentos, encontros e seminários promovidos pela SEDU; apropriar-se de todos os conteúdos que serão abordados nos encontros formativos, dos resultados das avaliações externas, sugerindo, quando necessário, intervenções pedagógicas; compilar, analisar e elaborar parecer técnico a partir de indicadores relevantes; fazer o acompanhamento, in loco, das ações realizadas no município com o intuito de observar, registrar e propor intervenções pedagógicas, quando necessárias; e elaborar estratégias de intervenção técnico-pedagógica nas escolas em que os resultados não forem satisfatórios entre outras, voltadas para a articulação das ações do Pacto no município.

Maria da Penha se diz muito confiante com a nova função. “A alfabetização é uma etapa de grandes desafios, que foram potencializados pela pandemia. Nossa missão é amparar o professor com todos os meios possíveis, a fim de fomentar a aprendizagem”, declarou.


Leia mais

Leia também