Secretaria de Cultura e Turismo prepara retorno presencial de oficinas em Nova Venécia

O secretário de Cultura e Turismo de Nova Venécia, João Júnior, se reuniu, ontem, com instrutores e equipe técnica da pasta para discutir propostas e planejamento de ações, visando grande abrangência de atendimento e segurança nesse período pandêmico.

“O intuito é que haja retorno imediato de oficinas de música em variadas vertentes, haja vista a grande importância da música e da arte de modo geral em tempos de pandemia”, disse.

O projeto intitulado ‘CULTURART’ está previsto para ter início no mês de outubro, com oficinas de bateria, acordeon e violão.

As oficinas acontecerão no Centro Cultural Casarão, nos horários matutino e vespertino, e nesse ano com uma grande novidade: serão disponibilizadas, também, dentro das comunidades dos bairros Altoé e Rúbia, visando a implantação de políticas públicas e culturais acessíveis aos moradores.

As inscrições poderão ser feitas entre os dias 08 e 24 de setembro, de 08h às 11h e de 13h às 15h, na Secretaria de Cultura e Turismo, sediada na Casa de Pedra do Perletti, e, excepcionalmente, nos dias 14, na Associação de Moradores do Bairro Rubia (Ambru), de 07h às 09h e de 15h às 17h, e 15, na Associação de Moradores do Bairro Altoé, no mesmo horário.

“As oficinas obedecerão ao calendário escolar e aos protocolos de saúde da Organização Mundial de Saúde, visando a segurança e bem-estar de alunos e profissionais. É de fundamental importância relatar os grandes efeitos positivos que a música tem para as crianças, pois estas, de maneira geral, expressam as emoções mais facilmente pela música do que pelas palavras. Neste sentido, através da música, ocorre grande ampliação do desenvolvimento cognitivo, em especial, pela consolidação de memórias, e emocional das crianças, incluindo aquelas com transtornos ou disfunções do neurodesenvolvimento, como o déficit de atenção e a dislexia”, falou João Júnior.

“Assim, pode-se dizer que música não é somente entretenimento, é construção humana, é aprendizagem, é terapia, é emoção, é realização, tendo grande relevância no desenvolvimento global humano. Estamos vivendo um período de medo e incertezas, e diante deste cenário, percebe-se um crescimento em longa escala de sintomas de depressão e ansiedade. Remoer o passado e sofrer por um futuro incerto são dispositivos fortes para desencadear essas doenças psíquicas. Desta forma, venho enfatizar que a música pode ser um ótimo meio terapêutico para auxiliar em mudanças comportamentais positivas nesse período. Por ser um recurso de fácil acesso, permeando constantemente o dia a dia das pessoas, é uma forma para aliviar tensões e consequente melhorar o seu bem-estar”, concluiu o secretário.