Secretaria da Mulher faz campanha contra a Exploração Sexual Infantil

Compartilhe

 

Várias servidoras – e pelo menos um servidor – da Secretaria Municipal da Mulher, Habitação e Assistência Social (Semhas), estão na feira livre da Rua Mineira, na manhã deste sábado, 21, fazendo panfletagem contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes.

A panfletagem faz parte das ações desenvolvidas ao longo da semana para lembrar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e a à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, que acontece sempre no dia 18 de maio, data instituída em memória de um triste epsiódio ocorrido na capital capixaba, em 1973, quando uma criança – Aracely de Paula – de 8 anos, foi raptada, estuprada e morta.

Na última quarta-feira, 18, a Semhas também promoveu uma palestra com a psicóloga Ana Paula, no Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), para famílias em situação de vulnerabilidade social.

A violação de direitos das crianças e adolescentes podem ser denunciadas no Conselho Tutelar, pelo telefone Dsique 100 e no Creas.

História da data 

O dia 18 de maio é reconhecido no Brasil como Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Infelizmente essa data está relacionada a um cruel episódio da história do Espírito Santo. A data foi instituída em memória de Araceli Cabrera Crespo, que aos oito anos de idade foi raptada, drogada estuprada e morta em 1973, na capital do Estado, em um caso que ganhou repercussão nacional.

A violência sexual praticada contra crianças e adolescentes é uma forma de violação de direitos humanos e envolve vários fatores de risco e vulnerabilidade, dentre eles as relações de gênero, de raça/etnia, de orientação sexual, classe social, de geração e condições econômicas.

Nessa violação, são estabelecidas diversas relações de poder, nas quais tanto pessoas quanto redes utilizam crianças e adolescentes para satisfazerem seus desejos e fantasias sexuais ou obterem vantagens financeiras e lucros. Infelizmente, a violência sexual contra meninos e meninas não se dá só no contexto de exploração sexual, mas também ocorre por meio do abuso sexual intrafamiliar ou interpessoal.

Dessa forma, é dever do Poder Público em suas várias instâncias criar medidas de proteção e de conscientização a respeito dos efeitos danosos do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes.

Nesse sentido, são as ações de enfrentamento que podem gerar sensibilização e mobilização social para combater essas formas de violência.

Leia também

Moto é encontrada queimada em Mantenópolis

Uma moto foi encontrada queimada na manhã desta quinta-feira, 30 de junho de 2022, em Mantenópolis. De acordo com informações...

Prazo de emissão da DAP é prorrogado até 31 de outubro

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou, nessa quarta-feira (29), a Portaria nº 174, com alterações à Portaria nº...

Julho terá bandeira verde para todos os consumidores do Sistema Interligado Nacional

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) anunciou na sexta-feira (24/06) a aplicação da bandeira verde para as...

Copa Espírito Santo 2022: times tradicionais tem saldo positivo na 1ª fase; veja os números e assista aos gols

Após um mês de disputa, a primeira fase da Copa Espírito Santo 2022 chegou ao fim com Rio...

PARÁ: Mesmo com queda em 20 anos, taxa de mortalidade infantil no estado é maior que média brasileira

Apesar de ter diminuído em 20 anos, a taxa de mortalidade infantil no Pará ainda é a maior...

Filipinho é tetra e estreante Samuel Pupo vice na etapa Rio Pro da WSL

O paulista de Ubatuba Filipe Toledo, líder do ranking, faturou o tetracampeonato do Rio Pro, etapa da Liga...

Tabela Vacinação diária Covid-19 – 28/06/2022

    Barra de São Francisco Covid-19 Números de Vacinados Dia 28/06/2022     Púbico Alvo: 41.721 Meta de cobertura: 37.548 Vacinados com D1 ou DU 38.720                      92% Totalmente vacinados 32.976                    ...

EMENDA DE KIGALI: Brasil terá que reduzir em 80% o consumo de gases poluentes até 2045, se acordo for ratificado

O Brasil terá que reduzir em 80% o consumo de hidrofluorcarbonos (HFC) até 2045, se a Emenda de...