SARAMPO: Primeira morte em 2022 chama atenção para importância da vacinação

Compartilhe

<![CDATA[

A primeira morte por sarampo em 2022, registrada na última quarta-feira (4)<\/a>, em Rondônia, chama atenção para a importância da vacinação contra a doença. A idade e o gênero da vítima não foram divulgados pelos gestores estaduais, por questão de sigilo. O óbito ocorreu em meio à campanha nacional de vacinação contra o sarampo, mobilização que acontece em todo o Brasil, e na esteira de um cenário em que estados e municípios patinam para bater as metas de imunização.

Levantamento recente do projeto VAX*SIM, do Observatório de Saúde na Infância (Observa Infância), revela que, em 2021, nenhum estado brasileiro atingiu a meta preconizada pelo Ministério da Saúde, de vacinar 95% das crianças contra o sarampo. Na esfera municipal, apenas 660 municípios – ou cerca de 12% das prefeituras – alcançaram essa taxa, no ano passado.

Segundo o estudo, em 2021, de cada três crianças brasileiras que tomaram a primeira dose do imunizante, uma não voltou para completar o esquema vacinal, de duas doses. 

“Não temos uma causa para a queda da cobertura vacinal, mas [a queda] começou a acontecer em 2016. E tivemos vários surtos significativos no Brasil, em 2018. E, em 2019, [o Brasil] a gente perdeu esse selo de erradicação do sarampo”, remonta a coordenadora do projeto, Patricia Boccolini. 

Ainda de acordo com o estudo do VAX*SIM, em 2020, o país bateu o recorde de 10 mortes de crianças menores de 5 anos por sarampo. Entre 2018 e 2021, 26 crianças nessa faixa etária morreram pela doença. Segundo o observatório, esses dados são um “retrocesso em um país que entre 2000 e 2017 havia registrado uma morte, no ano de 2013”.  

Patricia Boccolini ressalta ainda que a vacinação infantil é uma das ações “mais importantes para prevenir mortes evitáveis de crianças de até 5 anos, com um excelente custo-benefício”. 

Falta de informação

A diretora do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cássia Rangel, explica que além da questão do horário de funcionamento dos postos, muitas vezes incompatível com a rotina de pais e responsáveis, a falta de informação sobre a atual situação da doença no país pode ter contribuído para a queda na cobertura vacinal contra o sarampo.
“As principais causas relacionadas a essa queda de cobertura são o sucesso das coberturas de vacinação ao longo dos anos, o que pode causar uma falsa sensação de que não há necessidade de se vacinar. Muitas doenças já foram eliminadas e as pessoas não têm lembrança da ocorrência dessa doença. E também o conhecimento individual sobre a importância dessas vacinas ofertadas gratuitamente pelo SUS, e até mesmo uma baixa percepção de risco dessas doenças que são Imunopreveníveis”, explica a diretora.

Hospitalizações

O número crescente de hospitalizações por sarampo também preocupa. Entre 2018 e 2021, o levantamento aponta que 1.606 crianças foram hospitalizadas com a doença no Brasil. Nos quatro anos anteriores, entre 2014 e 2017, o país havia registrado um total de 137 hospitalizações infantis por sarampo.

Cássia Rangel alerta para a necessidade da imunidade de rebanho, que só é alcançada quando se vacina cerca de 95% do público alvo, e para a importância de a criança completar o esquema vacinal, com as duas doses, já que as complicações podem ser graves.

“As principais complicações de sarampo, as mais comuns, são a otite média, diarreia, pneumonia e a laringotraqueobronquite. Em alguns casos, por causa dessas complicações causadas pelo sarampo, podem levar à hospitalização, especialmente crianças desnutridas e imunocomprometidas”, destaca.

Campanha nacional de vacinação

De acordo com dados do Ministério da Saúde, notificados até a última terça-feira (3), no LocalizaSUS, 1,3 milhão de crianças entre 6 meses a menores de 5 anos tomaram a dose da vacina contra o sarampo. A estratégia de vacinação contra a doença acontece em todo o Brasil ao mesmo tempo em que é realizada a campanha de vacinação contra a influenza, que já aplicou 1 milhão de doses nesse público.

Segundo a pasta, a vacinação pretende “interromper a circulação do sarampo no Brasil”. A segunda etapa começou na última segunda, 2 de maio, e vai até o dia 3 de junho em quase 50 mil pontos de vacinação espalhados por todo o País.
 

]]>

Leia também

Morre o secretário de Esportes de Jaguaré, Jairo Meira

  Faleceu no início da tarde desta segunda-feira (23), o secretário de Esportes de Jaguaré, Jair Jairo Manoel Meira, aos...

Bueiros construídos e ponte ecológica recuperada em Rio do Campo, Ponte Alta e Assentamento Três Corações

Funcionários da secretaria de Transportes e Estradas da prefeitura de Barra de São Francisco, construíram mais três bueiros...

Antônio Maria é reeleito presidente da Casa do Idoso de Ecoporanga

No último dia 15 do mês de maio do ano de 2022, aconteceu a eleição da nova diretoria...

Homem que desafiou a polícia é preso com drogas e arma em Mantenópolis

Uma grande movimentação de viaturas da Polícia Militar chamou atenção de moradores de Mantenópolis, no Norte do Espírito...

Tite convoca Léo Ortiz para jogos da seleção brasileira em junho

O zagueiro Léo Ortiz, de 26 anos, foi chamado por Tite, nesta terça-feira (17), para integrar a seleção...

Operação investiga juízes e advogados suspeitos de corrupção no Ceará

A Polícia Federal deflagrou hoje (20) a Operação Skiagraphia com o objetivo de “desmantelar esquema de corrupção” que contaria com a participação...

Em meio à crise, Flamengo encara Goiás neste sábado pelo Brasileiro

Após uma semana turbulenta, o Flamengo recebe o Goiás na tarde deste sábado (21) no Maracanã, pela sétima...

EcoRodovias vence leilão e vai investir R$ 11,3 bilhões na Rio-Valadares pelos próximos 30 anos

A EcoRodovias Concessões e Serviços S.A. será responsável por investir R$ 11,3 bilhões, pelos próximos 30 anos, nos...