SÃO PAULO: Equipes de Atenção Básica realizaram 73,8 mil consultas de pré-natal com seis ou mais atendimentos por gestante em 2021

Compartilhe

Para prevenir e detectar precocemente doenças em gestantes e bebês, o Ministério da Saúde recomenda que as mulheres tenham ao menos seis consultas de pré-natal durante a gravidez. No estado de São Paulo, as equipes de Atenção Básica realizaram 73,8 mil atendimentos médicos que englobam essa quantidade mínima, entre janeiro e dezembro de 2021. Em todo Brasil, foram feitas 407,9 mil consultas de pré-natal no recorte de seis ou mais por gestante, no mesmo período. Os dados são do Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (Sisab). 

Ainda que a assistência esteja disponível pelo SUS em todas as regiões do país, o quadro de mortalidade materna e infantil acende o alerta das autoridades de saúde. Isso porque, segundo o Ministério da Saúde, grande parte dos óbitos ocorrem durante a gravidez ou por complicações durante o parto, sendo que 90% das causas, como hipertensão, hemorragia e síndromes infecciosas, são consideradas evitáveis com atenção à saúde precoce e de qualidade.

“O Ministério da Saúde acredita que a mortalidade materna é uma tragédia social sem precedentes. A perda de uma mãe significa a desestruturação total do núcleo familiar. Há uma frase que a gente veicula [em campanhas educativas] que diz o seguinte: ‘A cada mulher que morre, há uma família que sofre, uma comunidade que fica mais fraca e um país que fica mais pobre”, afirma a ginecologista, obstetra e diretora do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas (DAPES), Lana de Lourdes Aguiar.

Com o propósito de reverter essa situação, o Ministério da Saúde vai investir, em 2022, mais R$ 624 milhões ao financiamento atual de R$ 977 milhões para reestruturar a rede de saúde materno-infantil brasileira. Na avaliação das autoridades de saúde, aprimorar a assistência oferecida da Atenção Primária à Atenção Hospitalar, desde o fortalecimento das maternidades até a criação dos ambulatórios de assistência a gestantes com alto risco para complicações, assegura à mulher o direito ao planejamento familiar, ao parto e ao puerpério e, às crianças, o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis. 

Garantir atendimento humanizado e mais próximo possível do cidadão, lembra Lana, é responsabilidade compartilhada pelo governo federal com estados e municípios. “O enfrentamento da mortalidade materna é uma causa dos gestores nas três esferas de governo, bem como de toda a sociedade. Aos estados e municípios cabe a organização da rede de atenção materna e infantil, de modo a atender as necessidades das gestantes e puérperas, ofertar acesso ao pré-natal de qualidade, à atenção ambulatorial e à atenção hospitalar”, ressalta a diretora do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas.

Benefícios do pré-natal

O pré-natal segue um protocolo para monitoramento da saúde da gestante e do bebê. Inclui anamnese (histórico de sintomas narrados pelo paciente sobre determinado caso clínico), exame físico e análise de exames laboratoriais e de imagem. Como o acolhimento é um dos eixos e diretrizes da Política Nacional de Humanização e de Atenção Obstétrica e Neonatal do Ministério da Saúde, os profissionais de saúde preparam as mulheres para a maternidade por meio de orientações sobre hábitos de vida e higiene pré-natal, conversam sobre a importância de manter o estado nutricional apropriado e sobre o uso de medicações que possam afetar o feto ou o parto. As consultas também tratam das manifestações físicas próprias da gravidez, servem de apoio psicológico para as futuras mamães e são um momento importante para a gestante tirar dúvidas e dividir preocupações e experiências.

“Não só financiamos as ações, como também estabelecemos diretrizes e orientações técnicas para o desenvolvimento de todas elas. Um dos nossos indicadores de desempenho é o pré-natal das gestantes. Há instrumentos e material de orientação para que as equipes se organizem e possam oferecer um bom cuidado, desde o necessário do ponto de vista de equipamento até a conduta clínica, ou seja, como tratar as patologias, doenças, como prevenir e reabilitar para esses dois grupos: mulheres e crianças”, detalha a diretora do Departamento de Saúde da Família (DESF), Renata Maria de Oliveira Costa.

“Queremos evitar que crianças fiquem órfãs, quando perdem a mãe na hora do parto, e que mães não percam seus filhos por conta de uma morte infantil que seria evitável se tivesse o cuidado adequado”, completa.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, a secretaria municipal de Saúde oferece a Rede de Proteção à Mãe Paulistana, uma linha de atuação do sistema público de saúde de assistência à gestante durante o ciclo da gravidez, desde as consultas de pré-natal, o parto, o puerpério até o segundo ano de vida do bebê. Para mais informações sobre o pré-natal da rede pública paulista e esclarecer dúvidas, você pode entrar em contato com a Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo pelo telefone (11) 3066-8000.
 

Foto: Marcello Casal/Agência BrasilFoto: Marcello Casal/Agência Brasil

Leia também

Adolescente filha de vítima de feminicídio é morta a tiros no Espírito Santo e ex-namorado é preso suspeito do crime

  Uma adolescente de 14 anos, que perdeu a mãe em 2009 vítima de feminicídio, foi morta a tiros...

Parque de Leilão ‘Mira Dalmagre’ será inaugurado no dia 17 de setembro com shows musicais e leilão de gado de ponta

O prefeito Enivaldo dos Anjos anunciou neste domingo, 7, que a inauguração do Parque de Leilão Mira Dalmagre,...

SARAMPO: Ministério da Saúde cria sala para monitorar casos da doença

O Ministério da Saúde ativou uma Sala de Situação para monitorar a circulação do sarampo no país. Segundo...

Homem tem 52% do corpo queimado em Água Doce do Norte

Zé Marcelino, como é conhecido, é morador do Córrego São Domingos, zona rural de Água Doce do Norte,...

Pai de padre é socorrido de helicóptero após acidente grave no quintal de casa no ES

É grave o estado de saúde de José de Souza Vieira, de 76 anos, que teve cerca de...

Lote 4: fotos do show de Michel Teló no 1º Leilão Solidário de Barra de São Francisco

Aconteceu neste sábado, 6 de agosto de 2022, o 1º Leilão Soldiário de Barra de São Francisco. O...

Serviço de fisioterapia municipal fecha mês de julho com 2.427 atendimentos

O Serviço de Fisioterapia da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realizou 2.427 atendimentos no mês passado, informam o...

Inflação e saúde financeira, golpe, monkeypox e nova tecnologia em aeroportos

No episódio desta semana (12), o podcast Giro Brasil 61 faz um alerta sobre golpe aplicado em beneficiários...