Rota do queijo artesanal: novo destino gastronômico do Estado destaca empreendedores de João Neiva

Compartilhe

Que o queijo artesanal é apreciado pelo capixaba, não temos dúvida! O melhor é saber que no Estado é possível encontrar espaços pensados para experimentar os mais variados tipos de produtos produzidos pelos empreendedores. Nesse sentido, o município de João Neiva ganhou um novo destino gastronômico que vem se destacando como a rota de delícias e sabores da cidade.

A Rota do Queijo, em João Neiva, está localizada às margens da BR-259. O percurso fica entre o distrito de Cavalinho e o trevo de João Neiva X Colatina. Os estabelecimentos que ficam bem próximos uns dos outros vão surpreender os visitantes com espaços aconchegantes e  produtos de qualidade.

Para conferir, vale um passeio na cidade. O primeiro ponto de parada é na Queijaria do Trevo. Com mais de 40 anos de história, a queijaria produz cerca de 150 quilos de massa por dia. Com uma variedade de mais de dez tipos de queijo, sendo o cabacinha o carro chefe do empreendimento. Além disso, no espaço também são produzidos os queijos montanhês, palmitinho e os saborizados. Já o tipo provolone ganha destaque na produção com torresmo, assim como o provolone com salame, que são criação própria.

O produtor Jocimar Nunes, que está no comando da queijaria, disse que após a entrada para a Rota do Queijo, os produtos ficaram mais conhecidos. “Depois que passei a fazer parte da Rota do Queijo, meu produto ficou mais conhecido e, com isso, as vendas aumentaram. A gente recebe na Queijaria do Trevo grupos que vêm de ônibus, bicicleta e moto, e isso é gratificante, pois trabalhamos com o objetivo de melhorar a cada dia”, disse o empreendedor.

Seguindo a rota, o próximo ponto de parada é a Vila Veneto Queijaria e Bistrô, que apresenta uma grande variedade de queijos finos. O espaço proporciona ao visitante ter uma experiência gastronômica e de contato com a natureza. Segundo o produtor Roberto Cozini, a Vila Veneto produz queijos tradicionais, como o Minas Curado e o Requeijão. Além disso, produz os queijos finos que são o Veneto Gourmet, Morbier, Veneto Gourmet Premim, Asiago e o Parmesão Reserva.

Roberto Cuzini explicou que o Parmesão Reserva conta com 15 meses de maturação. O Morbier é um queijo mais cremoso, suave e ideal para degustar com vinho. No entanto, o Veneto Gourmet é indicado para a gastronomia, principalmente para finalizar risotos. Para o produtor, a Rota de Queijo de João Neiva é uma alternativa que permite gerar renda, por meio do recebimento das pessoas e que conta com o atrativo do agroturismo.

“A gente tem um potencial que está sendo explorado. A Aderes e o Sebrae são duas instituições fundamentais para a profissionalização dessa rota, principalmente quando contribui com consultorias, cursos e apoios em eventos, como as feiras de comercialização, que nos permite vender produtos fora do nosso estabelecimento. Com esse apoio institucional, o projeto tem mais credibilidade e isso é fundamental para nós, empreendedores, pois contribui para o desenvolvimento local”, salientou Roberto Cuzini.

Outra queijaria que compõe a rota é a Bergantini. Com quase 28 anos de história, a família Bergantini recebe os visitantes com um bom café, acompanhado de uma deliciosa degustação de queijos produzido no local. Se, no início, a produção era de 12 quilos por semana, atualmente passa de 200 quilos. O queijo mais procurado na lojinha construída pelo empreendedor Carlos Bergantini é o tipo montanhês, de massa cozida e com muito sabor, mas os saborizados e o palmitinho também fazem muito sucesso.

“Produzimos queijo há quase 28 anos e somos muito felizes por isso. É desse trabalho que tiramos nosso sustento e conseguimos chegar onde estamos hoje. Com a Rota do Queijo, a divulgação dos nossos produtos ficou muito maior, o que contribuiu para o aumento das vendas com um número maior de turistas”, destacou Carlos Bergantini, responsável pela queijaria.

Negócios que passam por gerações



O último ponto de parada da Rota do Queijo está em Cavalinhos e atende pelo nome de Queijaria Del Caro. Se antes o negócio da família, iniciado em 1920, era uma loja de secos e molhados, atualmente, o casarão ganhou uma bela reforma, sem perder as características do antigo e se tornou a loja da fábrica. Segundo a produtora Elda Del Caro, o queijo mais procurado do estabelecimento é o cabacinha com goiabada, mas no local também se encontra o palmitinho, montanhês, parmesão, queijos banhados no vinho e defumados em geral, como a linguiça artesanal, além do pernil defumado e o bacon.

Entre os inúmeros produtos, também é possível encontrar artigos de outros produtores locais, como é o caso da goiabada, rapadura, cachaça, capeletti, massas em geral, biscoitos caseiros, mel etc. Para Elda Del Caro, a iniciativa de vender estes itens tem por objetivo divulgar e incentivar a comercialização dos chamados “produtos da terra”.

“O Nosso negócio está na quarta geração. Tudo começou com o meu bisavô Esperândio Del Caro, até chegar no meu pai Eldimir José Del Caro, que iniciou a produção dos queijos. Depois eu cheguei. Com o meu sócio Rogério Gardiman, aperfeiçoamos todo processo. A rota do queijo é fundamental para nós produtores, pois contribui para o nosso crescimento”, frisou Elda Del Caro.

Experiência de pai para filha

A Queijos Giacomim, localizada em Santa Luzia, também é integrante da rota. Tudo começou com o empreendedor Hildo Giacomin, que há 22 anos iniciou a produção de queijo tipo mussarela e provolone. O negócio foi evoluindo e a produção aumentou ganhando o queijo tipo cabacinha. Há dois anos, Hildo Giacomin passou o empreendimento para a filha Gabriela Giacomin, que está tocando o negócio.

“A agroindústria está expandindo cada vez mais, aumentamos os tipos de queijos no nosso cardápio. Com isso, aumentamos o número de clientes. A rota do queijo tem nos proporcionado mais visibilidade. Recebemos muitos turistas e isso é gratificante para a gente que está crescendo. Por conta disso, em novembro, vamos abrir uma nova loja para atender nossos visitantes”, comemorou a empreendedora.

Valorizando o Empreendedor

Para valorizar ainda mais esses empreendedores que integram a Rota do Queijo de João Neiva, a Agencia de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo do Estado (Aderes), com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), vai apoiar o 1º Festival da Rota dos Queijos, que acontece entre os dias 21 e 24 de julho, no Centro Comunitário da cidade. Para o diretor-presidente da Alderes, Alberto Farias Gavini Filho, o evento tem a finalidade de oportunizar espaços para que os empreendedores possam divulgar e vender os produtos. “O 1º Festival da Rota dos Queijos, é mais uma ação do Governo do Estado, por meio da Aderes, em conjunto com o Sebrae, que vai contribuir para retomada da economia dos pequenos negócios”, destacou Alberto Gavini.

 

 

Leia também

Cachoeiro Stone Fair apresenta máquinas que aumentam a produtividade para marmorarias

Grandes lançamentos de maquinários na maior Feira da América Latina O que há de mais moderno em termos de...

AMAZÔNIA: Linha de crédito oferece R$ 1 bilhão pelo Pronampe

Linha de crédito do Banco da Amazônia (Basa) oferece R$ 1 bilhão em recursos para micro e pequenas...

Pastor e esposa morrem após batida entre carro e caminhão no extremo sul da Bahia

Um pastor de uma igreja evangélica e a esposa dele morreram após uma batida entre o carro em...

Bandidos armados invadem casa e roubam carro no interior de Boa Esperança

Uma picape Fiat Strada, de cor branca, foi roubada na manhã da última sexta-feira (12), na zona rural...

Dupla Fábio Max & André foi a atração do Forró da terceira Idade neste final de semana

Aconteceu na tarde deste domingo, 14 de agosto, na Escola Municipal João Bastos, a terceira edição do Forró...

SARAMPO: Ministério da Saúde cria sala para monitorar casos da doença

O Ministério da Saúde ativou uma Sala de Situação para monitorar a circulação do sarampo no país. Segundo...

Diretor de futebol Lucian Barros segue no Nova Venécia em 2023

  O diretor de futebol, Lucian Barros, vai continuar no Nova Venécia para a temporada 2023. Apesar de algumas propostas,...

‘Estava muito difícil conseguir comida’, diz cacique de indígenas venezuelanos que foram deixados no Espírito Santo

    Grupo de indígenas venezuelano se estabeleceu em terreno próximo à rodoviária de Vitória O cacique do povo Warao, grupo...