Resgates superaram investimentos no Tesouro Direto em R$ 708,5 milhões

Em março deste ano os resgates do Tesouro Direto superaram as vendas em R$ 708,5 milhões. Segundo os dados divulgados pelo Tesouro Nacional, as vendas do programa atingiram R$ 3,392 bilhões no mês passado. Já os resgates totalizaram R$ 4,100 bilhões, sendo R$ 1,923 bilhão relativo a recompras de títulos públicos e R$ 2,176 bilhões a vencimentos, quando o prazo do título acaba e o governo precisa reembolsar o investidor com juros.

Os títulos mais procurados pelos investidores foram os vinculados à inflação (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA), cuja participação nas vendas atingiu 40,7%. Os títulos corrigidos pela taxa Selic (taxa básica de juros) corresponderam a 35,3% do total, enquanto os prefixados, com juros definidos no momento da emissão, foram 24%.

Déficit primário fecha 2020 com resultado melhor que o previsto

Reforma Tributária pode mudar divisão de recursos aos municípios

Em relação ao número de investidores, 390.394 novos participantes se cadastraram no programa no mês passado. O número total de investidores atingiu 10.285.781. Nos últimos 12 meses, o número de investidores acumula alta de 57,9%. A maior parte são pequenos investidores, cerca de 87,8% do total de operações são de vendas de até R$ 5 mil.

A venda de títulos é uma das formas que o governo tem de captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, o Tesouro Nacional se compromete a devolver o valor com um adicional que pode variar de acordo com a Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente no caso dos papéis prefixados.

Dinheiro. Foto: Agência Brasil.Dinheiro. Foto: Agência Brasil.

Leia mais

Leia também