Representantes do Governo, da indústria e do setor empresarial debatem Programa ES Solidário

O Governo do Estado anunciou, na última semana, um pacote de medidas de proteção social dentro do Programa ES Solidário, visando a dar assistência à população mais necessitada no período de enfrentamento à pandemia. Para potencializar as ações divulgadas, representantes das Secretarias da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional e Desenvolvimento Econômico (Sectides), e de Direitos Humanos (SEDH) se reuniram, nesta quinta-feira (01), por meio de videoconferência, com integrantes da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) e do movimento empresarial Espírito Santo em Ação para propor a mobilização de esforços e, assim, alcançar o maior número de capixabas.

O Programa ES Solidário prevê entre suas ações a doação de cestas básicas e aquisição de alimentos da agricultura familiar, por meio de aporte financeiro para entidades assistenciais. O pacote de medidas de proteção social tem investimento estimado de R$ 70,86 milhões.

Segundo o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional e Desenvolvimento Econômico, Tyago Hoffmann, o Governo do Estado vem fazendo sua parte, apresentando medidas econômicas e sociais, mas a demanda é crescente, já que muitas pessoas perderam o emprego recentemente devido à pandemia, não tiveram tempo de serem inseridas no CadÚnico, por isso, estão fora do radar da concessão de alguns benefícios. A demanda por alimentos, cestas básicas e kits de higiene é real. A parceria com as entidades e instituições tem sido de extrema importância para o enfrentamento do cenário atual.

“Estamos pedindo todo o apoio que possa somar conosco. Mantemos uma importante parceira constante com o setor produtivo e empresarial. Empresas que tiverem interesse em participar com doações ao ES Solidário são bem-vindas. O programa tem total transparência, dispõe de uma conta específica e um site para acompanhamento diário. A Secult está organizando um calendário com 200 lives, com a participação de artistas capixabas, e receberá doações para o programa. Empresas que tiverem interesse podem apoiar esta iniciativa, por meio de doações ou divulgando o mesmo em suas redes”, enfatizou Hoffmann.  

Para a secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo, o ES Solidário é um programa que vem dando certo graças à parceria da sociedade civil e de empresas que abraçam a causa. “Somos gratos por isso. O povo capixaba é muito solidário e precisamos contar com esse apoio neste momento, pois as dificuldades provocadas pela pandemia ainda continuam e quem mais sofre é a população mais vulnerável. Agradecemos a abertura e o apoio da Findes e do Espírito Santo em Ação neste momento, com a certeza de que, juntos, vamos conseguir mais doações e proporcionar mais dignidade às pessoas que mais precisam”, afirmou Nara Borgo.

A presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo, Cris Samorini, destacou que ES Solidário está em sintonia com o movimento Indústria do Bem da Findes. “Ambos são essenciais para as pessoas do nosso Estado. A Federação tem uma preocupação muito grande com as necessidades emergenciais ligadas à falta de alimento e de itens de higiene básica. Entendemos que estamos passando por um momento muito difícil na economia. Muitas famílias perderam renda e o número de desempregados está muito alto. Com isso, essas necessidades primarias estão aparecendo de forma muito destacada, não só no Estado, mas também no País. Há uma preocupação muito grande dos empresários com relação a isso. Acreditamos que é necessário ter esse olhar sobre o lado social. Valorizamos muito o ES Solidário e vamos contribuir com ele”, completou Cris Samorini.

A presidente da Findes disse ainda que, hoje, a Câmara de Alimentos e Bebidas está trabalhando em prol da arrecadação de alimentos. “Temos mil cestas básicas garantidas. Também já acionei o Sindicato da Indústria de Produtos Químicos do Espirito Santo, o Sindiquímicos, para angariarmos itens para compor kits de higienização para serem distribuídos às famílias mais carentes. Nos próximos dias, vamos intensificar as formas de arrecadação de doações, por meio de uma plataforma de financiamento colaborativo. Ela vai possibilitar que qualquer pessoa contribua”, explicou Cris Samorini.

O secretário-executivo do movimento empresarial Espírito Santo em Ação, Orlando Caliman, ressaltou que todas as medidas que vierem agora para ajudar as pessoas que precisam, por meio de cestas básicas e kits de higiene, são iniciativas louváveis. “Do ponto de vista do ES em Ação, a gente já vem apoiando outras iniciativas, mas mais uma vez vamos avaliar a possibilidade de como a nossa atuação pode ajudar a esta iniciativa do Governo”, pontuou Caliman.

ES Solidário

O programa ES Solidário atende às demandas por meio de solicitações feitas por municípios, coletivos, associações e igrejas, com ações sociais que direcionam as doações de donativos às pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza.

Os donativos são recebidos por meio de doações feitas por empresas e pela sociedade civil. Contribuições em dinheiro são usadas para a compra de alimentos e outros itens essenciais. Os repasses são feitos em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar (CBMES), responsável pela logística de entrega. Também é possível contribuir por meio de serviços.

Desde o início do programa, foram arrecadadas e distribuídas mais de 21 mil cestas básicas e verdes, além de 6,1 mil kits de higiene e limpeza, 463 pacotes de fraldas geriátricas, 295 frascos de álcool em gel, mais de 23 mil máscaras, além de 6.305 itens avulsos. No total, até o momento, famílias de 50 cidades capixabas foram atendidas pelo ES Solidário.

O Governo do Espírito Santo está organizando doações em dinheiro, serviços, cestas básicas, além de kits de limpeza e de higiene pessoal para ajudar pessoas que estão enfrentando dificuldades por conta da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). Para obter mais informações, acesse https://coronavirus.es.gov.br/ESsolidario

Leia mais

Leia também