Rádio Internacional da China publica comentário criticando mentiras sobre Xinjiang


Como certos políticos estadunidenses e de países ocidentais criaram mentiras sobre Xinjiang para difamar a China? Um relatório especial publicado no site do Partido dos Cidadãos Australianos deu a resposta.

Esse documento conta com 40 páginas e oito reportagens especiais, revelando detalhadamente o apoio de países ocidentais às atividades separatistas e terroristas para fins geopolíticos. Suas tentativas são prejudicar a estabilidade da China e reprimir o desenvolvimento do país, destaca em comentário a Rádio Internacional da China.

De acordo com o relatório, já em 2003, a Agência Central de Inteligência (CIA) sugeriu que os EUA não deveriam descartar a opção de usar a “carta de Xinjiang” como meio de pressão, quando enfrentassem uma crise ou um confronto com a China no futuro. Desde 2004, a Fundação Nacional para a Democracia dos EUA destinou US$8,76 milhões para organizações separatistas de Xinjiang no exterior. Em novembro de 2020, políticos estadunidenses excluíram o Movimento Islâmico do Turquestão Oriental da lista de organizações terroristas, demonstrando claramente seu apoio ao terrorismo.

Além disso, políticos ocidentais contra a China também manipularam algumas instituições e criaram muitos rumores relacionados a Xinjiang. Eles aproveitaram os veículos de imprensa para espalhar mentiras, de forma a confundir a comunidade internacional.

De fato, o conluio e a conspiração das forças anti-China são um segredo quase aberto no mundo ocidental. Alguns dias atrás, foi exposto um vídeo com uma entrevista com a ex-intérprete do FBI, Sibel Edmond. Nesse vídeo filmado em 2015, ela afirmou que os EUA planejavam copiar os métodos de tratamento com Afeganistão, Ucrânia e Iraque na questão de Xinjiang, com o objetivo de criar mentiras e tirar proveito da situação para buscar seus próprios interesses. Entretanto, Sibel reconheceu que as declarações da China estão mais perto da verdade do que as dos ocidentais.

O blogger israelense, Raz Galor, visitou recentemente a região de Aksu, na Região Autônoma Uigur de Xinjiang, e conferiu as operações de cultivo de algodão mecanizadas. Ao conceder uma entrevista ao Grupo de Mídia da China (CMG, na sigla em inglês), ele declarou que tudo está normal em Xinjiang. Todas as pessoas têm lutado pela felicidade.

(Foto: Diário do Povo)

Leia mais

Leia também