Quatro policiais que participaram de ação para conter ataque ao Capitólio morrem por suicídio


Reuters – O departamento de polícia do Distrito de Columbia disse na segunda-feira (2) que mais dois policiais que responderam ao motim de 6 de janeiro no Capitólio dos EUA morreram por suicídio, elevando para quatro o número de suicídios conhecidos por policiais que vigiavam o prédio naquele dia.

O policial metropolitano Gunther Hashida foi encontrado morto em sua casa na quinta-feira, disse o porta-voz do departamento Hugh Carew em um comunicado.

Hashida juntou-se ao Departamento de Polícia Metropolitana do Distrito de Columbia (MPD) em maio de 2003.

Outro oficial da polícia que respondeu ao Capitólio em 6 de janeiro, Kyle DeFreytag, foi encontrado morto em 10 de julho, disse Carew. A causa da morte de DeFreytag também foi suicídio, disse Carew.

Ele estava no departamento de polícia desde novembro de 2016.

O oficial da  Jeffrey Smith e o policial do Capitólio dos EUA Howard Liebengood também responderam ao motim no Capitólio e mais tarde morreram por suicídio.

Centenas de apoiadores do então presidente Donald Trump invadiram o prédio naquele dia em uma tentativa fracassada de impedir o Congresso de certificar a vitória eleitoral do presidente democrata Joe Biden.

Quatro pessoas morreram no dia da violência.

Policiais americanos montam guarda enquanto apoiadores do presidente norte-americano Donald Trumb protestam em frente ao Capitólio em Washington.

Policiais americanos montam guarda enquanto apoiadores do presidente norte-americano Donald Trumb protestam em frente ao Capitólio em Washington. (Foto: Leah Millis/Reuters)