Quase 20 milhões de alunos deixaram de ter aulas durante pandemia, revela DataSenado

Dos cerca de 55 milhões de alunos matriculados na educação básica e superior no Brasil, 19,5 milhões tiveram as aulas suspensas por causa da pandemia do novo coronavírus. O número representa 35% do total. Além disso, 32,4 milhões, que correspondem a 58%, passaram a ter aulas remotas. As informações são do Instituto DataSenado sobre a educação na pandemia, divulgada nesta quarta-feira (12).

Os dados foram apresentados pelo senador Flávio Arns (Rede-PR), vice-presidente da Comissão de Educação (CE), em uma live nas redes sociais. Ainda participaram da apresentação representantes do Ministério da Educação, do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e dos movimentos Todos pela Educação e Campanha Nacional pelo Direito à Educação.  

Estudo aponta que redes municipais de ensino devem sofrer perda de até R$ 31 bi na arrecadação em 2020

Mais de 3,8 mil secretarias de educação já aderiram ao programa Tempo de Aprender, do MEC

De acordo com o levantamento, 26% dos alunos da rede pública que estão tendo aulas online não possuem acesso à internet. Além disso, na opinião de 63% dos pais de alunos que tiveram aulas remotas, a qualidade do ensino diminuiu. O balanço revela ainda que 75% dos pais de filhos que tiveram aulas remotas nos últimos 30 dias preferem que o retorno às atividades escolares presenciais seja somente quando a pandemia acabar. 
 

Foto: Arquivo/EBC

Leia mais

Leia também