Protesto de caminhoneiros fecha trecho da BR-101 no Espírito Santo

 

Caminhoneiros fecharam uma das pistas da BR-101, na altura do km 308, em Viana, no Espírito Santo, na manhã desta segunda-feira (26). A pista já foi liberada.

De acordo com manifestantes presentes no local, entre as insatisfações da categoria está a alta do preço do diesel.

Segundo a organização do protesto, cerca de 120 veículos, entre caminhões e carretas estavam parados no local.

O grupo chegou a a atear fogo na pista, mas as chamas foram contidas por funcionários da Eco101, concessionária que administra a rodovia.

Caminheiros fizeram protesto na BR-101, em Viana

Caminheiros fizeram protesto na BR-101, em Viana

A organização do protesto informou ainda que entrou em acordo com agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para que o protesto interrompa apenas parcialmente o fluxo na rodovia e para que novos bloqueios com fogo não sejam feitos.

O caminhoneiro Anderson Andrade, que faz parte da organização da paralisação, afirmou que caminhoneiros que passam pelo local estavam sendo parados, a fim de que optassem por aderir ao protesto. No entanto, aqueles que desejassem, poderiam seguir viagem. Outros veículos não estão foram parados.

Uma das insatisfações da categoria diz respeito a alta do preço do diesel, além do valor de outros insumos necessários para o transporte de cargas, como pneus.

Andrade pontuou ainda que a categoria deseja que o exame toxicológico seja realizado por todos os motoristas. Atualmente, o Código de Trânsito exige a realização do exame para condutores com carteiras de habilitação C, D e E até 70 anos a cada dois anos e seis meses.

“Hoje só os carreteiros fazem e isso não é justo. Julgam muito os carreteiros. E quando acontece algum acidente, carro pequeno também está no meio”, disse Andrade.

Caminhoneiros pararam na BR-101, em Viana, durante protesto

Caminhoneiros pararam na BR-101, em Viana, durante protesto