Projeto PlantaDores disponibiliza mudas nativas para proteção de nascentes

 

O projeto PlantaDores tem em seu nome o objetivo: incentivar o plantio de mudas de espécies nativas para proteção e recuperação de nascentes ou olhos d’água no município de Dores do Rio Preto. Serão distribuídas 2 mil mudas de espécies nativas florestais e frutíferas, que contemplarão 20 agricultores familiares, promovendo PlantaDores literalmente. As mudas serão disponibilizadas pela Prefeitura de Dores do Rio Preto, criadora do projeto.

O PlantaDores tem como parceiros o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf). As áreas que receberão as mudas serão vistoriadas pelos técnicos locais do Incaper e do Idaf, que farão as orientações de plantio e tratos culturais necessários. Eles também farão visitas periódicas para acompanhar o desenvolvimento das plantas.

O desenvolvimento do projeto está em fase de análise das inscrições e vistorias das propriedades. A entrega das mudas acontecerá no Dia da Árvore, 21 de setembro, quando também será realizado o recolhimento de embalagens de agrotóxicos. De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Juan Ricardo Carvalho Senna, a previsão é que esse trabalho se repita nos próximos anos, a fim de beneficiar mais produtores.

Dores do Rio Preto é um município rico em recursos hídricos e está inserido no território do Parque Nacional do Caparaó, que possui nascentes de três importantes bacias hidrográficas: Itabapoana, Itapemirim e Doce. “Por isso, é de extrema importância trabalhos que busquem informar e orientar os produtores rurais quanto ao bom uso e conservação da água”, destacou Priscila Nascimento, extensionista e coordenadora do Escritório Local de Desenvolvimento Rural do Incaper de Dores do Rio Preto.

“É um projeto muito importante porque trabalha com a educação ambiental, estimulando os produtores rurais a recuperarem suas nascentes. O município é muito rico em recursos hídricos e florestais e é de extrema importância protegermos. O plantio de espécies nativas ao redor da nascente ajuda a estabilizar o solo e evita o assoreamento. Há outras demandas e fatores para a total recuperação de uma nascente, mas esse projeto é um passo importante no processo de recuperação e preservação”, disse Acácio Radael de Assis, gerente local do Idaf em Guaçuí.

Texto: Andreia Ferreira