Projeto ‘Infância além das Grades’ promove ações para filhos de internas custodiadas

No Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC), unidade administrada pela Secretaria da Justiça (Sejus), estão custodiadas cerca de 440 mulheres. Dessas, 110 são mães de crianças com até seis anos de idade que, em razão do aprisionamento, não podem acompanhar a situação social dos filhos. Pensando em contribuir com a oferta de serviços para essas crianças, a unidade prisional deu início no mês e março ao projeto “Infância além das grades”.

A diretora do Centro Prisional Feminino de Cariacica e coordenadora do núcleo de proteção à primeira infância do sistema prisional do Estado, Graciele Sonegheti Fraga, explica que o objetivo do projeto é rastrear e identificar como estão vivendo os filhos das internas, que estão na primeira infância e, a partir de necessidades individuais, direcionar as demandas para os órgãos e instituições que são referências.

“Sabemos que, em razão do aprisionamento dessas mulheres, muitas dessas crianças ficam sob os cuidados de terceiros, principalmente de idosos como os avós. Com o agravamento da pandemia do novo Coronavírus e o aumento no número de óbitos, muitas crianças podem estar em condições de desamparo e com suas necessidades básicas comprometidas”, explica Graciele Fraga.

O projeto já está em fase de levantamento de dados junto às famílias. A coordenadora ressalta que as internas, mães de crianças na faixa etária de  até seis anos de idade, foram informadas do projeto e muitas relataram desconhecerem as condições em que vivem os filhos, principalmente na atual conjuntura. “Com base em pesquisas cientificas, podemos afirmar que investir na primeira infância previne em 56% o número de detenções no futuro. O projeto é uma ação de prevenção em segurança, uma vez que, no caso deste público-alvo, o envolvimento criminal e o aprisionamento dos pais são fatos em suas vidas e que a proteção dessa fase do desenvolvimento interfere positivamente no processo de crescimento e desenvolvimento infantil”, enfatiza Graciele Fraga.

Outros projetos voltados para a primeira infância desenvolvidos no CPFC:

Projeto Maternar Lactantes Presas – Recebeu duas premiações de 2020, sendo 1º lugar geral no Centelha ES e no Ciclo Inoves 2020. O projeto tem como objetivo dar condições à maternidade dentro do sistema prisional, com vistas ao desenvolvimento infantil das crianças que estão com as mães, com suporte psicológico, social e de saúde, além de condições salubres e humanizadas dos espaços.

Projeto “Da gestação para Vida” – Possibilita o registro fotográfico profissional das crianças que estão com as mães no presídio, uma vez que não teriam nenhuma foto dessa fase da vida no futuro, fator que pode impactar na identidade dos mesmos que não cometeram crime algum e são dignos de direitos.

 

Leia mais

Leia também