Programa arrecada absorventes e itens de higiene para mulheres e meninas

Compartilhe

Um programa coordenado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDH), o ES Solidário, recebe doações de absorventes e itens de higiene para meninas e mulheres do Espírito Santo. A iniciativa faz parte de medidas de combate à pobreza menstrual.

Pobreza menstrual é um termo usado para a falta de acesso a recursos, infraestrutura e até conhecimento com os cuidados envolvendo a menstruação.

O termo se popularizou durante a pandemia, quando o orçamento doméstico de muitas famílias foi comprometido, sendo majoritariamente dedicado à alimentação.

Um estudo do Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para a Infância (Unicef) publicado em maio deste ano estima que, no Brasil, 713 mil meninas vivam sem acesso a banheiro ou chuveiro em casa e mais de 4 milhões não têm acesso a itens mínimos de cuidados menstruais nas escolas.

A situação, segundo o estudo, também envolve a desigualdade racial. A chance de uma menina negra não possuir acesso a banheiros é quase três vezes maior que uma menina branca estar na mesma condição.

Nacionalmente, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou a distribuição gratuita de absorvente feminino para estudantes de baixa renda de escolas públicas e mulheres em situação de rua ou de vulnerabilidade extrema. A decisão, publicada na edição desta quinta-feira (7) do Diário Oficial da União, argumenta que o texto do projeto não estabeleceu fonte de custeio.

O programa ES Solidário já recebia doações de alimentos, produtos de higiene e dinheiro e passou a receber absorventes em junho.

Quem quiser doar, pode procurar umas das bases do Corpo de Bombeiros em todo o estado, para deixar a doação. No caso de alguma empresa, que queira fazer contato para uma doação mais expressiva, pode fazer contato no telefone (27) 3636-1348.

As entidades que quiserem se cadastrar para pedir doações, devem acessar o site www.coronavirus.es.gov.br/essolidario.

No Brasil, 713 mil meninas vivam sem acesso a banheiro ou chuveiro em casa e mais de 4 milhões não têm acesso a itens mínimos de cuidados menstruais — Foto: Reprodução/TV Globo

No Brasil, 713 mil meninas vivam sem acesso a banheiro ou chuveiro em casa e mais de 4 milhões não têm acesso a itens mínimos de cuidados menstruais — Foto: Reprodução/TV Globo

Leia também

Operação ‘Luz na Infância 9’ detém quatros homens em flagrante no Espírito Santo

Por Brenda Corti A Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), deflagrou, na manhã dessa quinta-feira (30), a...

Barra de São Francisco vai sediar 1º encontro das Audiências Públicas para o Orçamento de 2023

Na próxima quarta-feira (06), o município de Barra de São Francisco vai receber o primeiro encontro presencial visando...

Prefeito autoriza início das obras de urbanização e pista de caminhada no Condomínio dos Anjos

O prefeito de Barra de São Francisco, Enivaldo dos Anjos assinou nesta sexta-feira, 1º de julho, a Ordem...

ES: vídeo mostra momento em que filho compra gasolina para incendiar corpo do próprio pai

Um vídeo registrado pela câmera de videomonitoramento de um posto de combustíveis no Sul do Espírito Santo mostra...

PRESIDENCIÁVEIS: Ciro Gomes pretende recriar o Ministério da Indústria e do Comércio se eleito

O pré-candidato à presidência da república Ciro Gomes pretende recriar o Ministério da Indústria e Comércio, se eleito....

Eleitor de Lula vê menos comida no prato e se preocupa com desemprego, diz Datafolha

JÚLIA BARBON RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A parcela de eleitores que pretende votar no ex-presidente Luiz...

Botafogo vence fora em jogo com dois gols anulados do Bragantino pelo VAR

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Red Bull Bragantino controlou o jogo, criou mais chances e até fez...