Procons de todo País cobram providências do Governo Federal em relação a alta dos preços dos produtos da cesta básica

Compartilhe

O Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-ES), órgão integrante da Associação Brasileira de PROCONS (PROCONSBRASIL), representado por essa e em conjunto com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), com a Comissão Especial de Direito do Consumidor, e ainda com Associação Nacional do Ministério Público do Consumidor (MPCON), todos sensíveis com o aumento dos preços de gêneros alimentícios verificado em todo o País, que expõe de forma clara a vulnerabilidade dos consumidores durante a pandemia, encaminharam um ofício conjunto à Secretaria Nacional do Consumidor (SENACON).

O documento expõe a imediata necessidade de intervenção do poder público, em especial dos Ministérios da Justiça, da Economia e da Agricultura, para a contenção dos frequentes aumentos à que os alimentos que compõem a cesta básica estão expostos, prejudicando a saúde financeira do consumidor.

De acordo com diretor-presidente do Procon-ES, Rogério Athayde, sem a elaboração de diretrizes governamentais não conseguiremos reverter o atual cenário econômico que demonstra um aumento de demanda por itens alimentícios, em virtude da melhoria do poder de compra, especialmente por aqueles que estavam fora do mercado de trabalho e agora passaram a receber benefício assistencial do Governo e, ao mesmo tempo, um estímulo à venda de tais produtos ao exterior face a grande valorização do dólar.

Provocada a se manifestar, a Secretaria Nacional do Consumidor salientou que já fez uma articulação interministerial marcando uma reunião urgente para dialogar com os integrantes dos outros ministérios que cuidam desse tema para compreender o que gerou esse salto no preço desses produtos.

Os Ministérios da Agricultura e da Economia se comprometeram a enviar os dados e informações necessários, especialmente aqueles relacionados ao comércio exterior.

Com base nas informações que serão passadas em caráter de urgência, a Senacon avaliará as alternativas para garantir a competitividade nesse setor e, principalmente, para que não falte produtos da cesta básica para o consumidor brasileiro.O presidente da PROCONSBRASIL, Filipe Vieira, reitera que a questão não é apenas local e sim nacional e que os órgãos de proteção e defesa dos consumidores já estão articulados para reverter tal cenário. Segundo ele, é importante que a população cobre de seus representantes na esfera legislativa, a adoção de medidas pertinentes para conter esses frequentes aumentos dos preços dos alimentos.

Leia também

Como prevenir e tratar picadas de escorpião

O acidente escorpiônico ou escorpionismo é o quadro clínico de envenenamento provocado pela picada de um escorpião. Os...

Descolamento de retina: Fique atento!

Conversaremos hoje sobre uma das doenças mais graves relacionadas ao olho que existem: o descolamento de retina. Fique...

Profissionais de Educação participam do 1º Congresso de Educação Infantil e Anos Iniciais

Aconteceu no último sábado, 6, das 8h às 12h, em Colatina, no Teatro Marista, o 1º Congresso de...

Posto de Saúde do Itá volta a ter atendimento médico

Foi inaugurado na manhã desta sexta-feira (12), as reformas do posto de saúde do Córrego do Itá, localizada...

Em carta, diretores jogam colega como “boi de piranha” e blindam secretário e SRE

Após a repercussão da notícia da demissão intempestiva do agora ex-diretor da Escola de Ensino Fundamental e Médio...

Festival Aracruz Sabores começa nesta quinta-feira (11)

O evento vai reunir sabores, cerveja artesanal, vinhos, drinks, música boa e muito mais. Na praça da Barra...

Abertura da Copa Rural de Futebol Amador movimentou o Bagaço neste sábado (13)

Aconteceu neste sábado (13), na comunidade do Bagaço a abertura da Copa Rural 2022, com a presença de...

Homens representam 95% dos casos de varíola dos macacos no Brasil, diz Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde atualizou nesta segunda-feira (15) a situação epidemiológica da varíola dos macacos no Brasil. Ao...