Procedimentos médicos eletivos e que demandam internação voltam a ser suspensos no Espírito Santo

 

A Secretaria da Saúde do Espírito Santo voltou a suspender a realização de todas as consultas médicas, exames e cirurgias que não são de urgência e que demandam internações hospitalares tanto em seus hospitais próprios quanto nos que estão sob gestão do governo estadual.

A suspensão dos chamados procedimentos eletivos, que decorrem de atendimentos ambulatoriais e não requerem urgência, foi publicada no Diário Oficial e já passa a valer a partir desta quarta-feira (13). O prazo de duração é indeterminado.

De acordo com a secretaria, a ação é necessária para garantir a oferta de leitos para os pacientes de Covid-19 em situação de urgência e emergência, tendo em vista a segunda expansão de casos da doença no estado.

Conforme determina uma portaria criada em março de 2020, as cirurgias oncológicas e cardiovasculares são uma exceção e, portanto, não devem ser suspensas.

Os procedimentos eletivos já haviam sido suspensos, no mesmo período em que foram diagnosticados os primeiros casos de Covid-19 no estado. Eles permaneceram sem acontecer até agosto do ano passado, quando o governo estadual determinou os reagendamentos.

No entanto, desde o final do ano passado, os casos de Covid-19 voltaram a aumentar no estado, elevando também o número de internações e de mortes.

Em declaração recente, o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, pontuou que o Natal foi o dia em que mais ocorreram mortes decorrentes do vírus durante a segunda onda de expansão.

O índice de ocupação de leitos de UTI da Covid-19 no Espírito Santo é de 77,79%, conforme a última atualização do painel do governo estadual.

Leia mais

Leia também