Presidente do Congresso da Venezuela denuncia relações entre Guaidó e governo colombiano


O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela (Congresso), Jorge Rodríguez, disse nesta segunda-feira (3), que as denúncias feitas por Caracas, antes, durante e depois da fracassada Operação Gideon, realizada há um ano contra seu país, não são mais especulações, mas “fatos comprovados. O chefe da Assembleia Nacional da Venezuela também lembrou que a tentativa de assassinato do presidente Maduro, perpetrado em 2018, está ligado a este fato. 

“Já não são provas, já não são indícios, já são factos comprovados”, sublinhou Rodríguez numa coletiva de imprensa realizada em Caracas perante meios de comunicação nacionais e internacionais, e onde sublinhou que, embora as advertências do seu governo tenham sido rejeitadas “pela mídia convencional “, a verdade finalmente prevaleceu, informa a RT.

Rodríguez aproveitou a oportunidade para descrever a Operação Gideão como “a mais grave agressão mercenária, paramilitar, contra a integridade territorial da Venezuela ocorrida no último século e meio”; ação que, assegurou, foi concebida com o consentimento e cumplicidade do Governo da Colômbia, chefiado por Iván Duque.

A Operação Gideon ocorreu há um ano. Com ela, pretendia-se invadir a Venezuela para sequestrar e / ou assassinar o presidente Nicolás Maduro junto com outros membros dos poderes do Estado venezuelano. Rodríguez disse que após a captura na Colômbia de vários envolvidos nos episódios, finalmente todas as acusações da Venezuela foram confirmadas.

Jorge Rodríguez

Jorge Rodríguez (Foto: Sputnik)

Leia mais

Leia também