Presidente chinês concede prêmio mais alto de ciência e tecnologia a dois cientistas • SiteBarra

Presidente chinês concede prêmio mais alto de ciência e tecnologia a dois cientistas


Foi realizada na manhã desta quarta-feira (3) uma cerimônia do Prêmio Nacional de Ciência e Tecnologia da China 2020. O presidente chinês, Xi Jinping, o primeiro-ministro Li Keqiang, e outros líderes do país compareceram ao evento, informa a Rádio Internacional da China.

Na cerimônia, Xi Jinping concedeu o mais alto prêmio de ciência e tecnologia ao designer de aeronaves, Gu Songfen, e ao especialista nuclear, Wang Dazhong, por suas contribuições notáveis para a inovação científica e tecnológica. O líder chinês também concedeu as medalhas e certificados aos representantes que obtiveram Prêmios Nacionais de Ciência Natural, Inovação Tecnológica e Progresso Científico e Tecnológico.

O premiê Li Keqiang proferiu um discurso na ocasião. Ele congratulou os premiados e prestou homenagem aos cientistas e engenheiros, agradecendo aos especialistas estrangeiros que apoiam as causas da ciência e tecnologia da China.

Conheça o segredo da inovação da China através deste prêmio

A inovação é a primeira matriz para o desenvolvimento da China, fato representado por uma série de resultados de inovação científica e tecnológica surgidos nos últimos cinco anos, tais como o projeto aeroespacial tripulado, a sondagem da lua, a comunicação quântica, o FAST, o sistema de navegação BeiDou, entre outros. De acordo com o Ranking Mundial do Índice de Inovação 2020, a China foi elevada do 29º lugar em 2015 para o atual 14º lugar. Tudo isso demonstra o crescimento do dinamismo da inovação no país.

Atualmente, a China possui a maior envergadura de intelectuais em setores mais completos do mundo. O número de intelectuais profissionais cresceu de 555,04 milhões em 2010 para 783,98 milhões em 2019, já o número dos dedicados à pesquisa e desenvolvimento do país ficou no primeiro lugar do mundo nos últimos 8 anos. No ano passado, a China registrou 68.720 patentes internacionais, liderando o globo.

A China estabeleceu em outubro de 2021 a meta estratégica de acelerar a construção de centros de intelectuais e inovação e lançou uma série de políticas para sua concretização, tais como a construção de centros de inovação em Pequim, Xangai e na Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau, o estabelecimento de plataformas para atrair talentos de alto nível e reforço do apoio a laboratórios nacionais e instituições de inovação. Segundo a Administração Estatal de Estatísticas, o Índice de Inovação da China de 2020 chegou a 242,6 (a cifra foi de 100 em 2005), com um aumento de 6,4% em comparação com 2019.

A ciência não tem fronteiras. O outro motivo do bom resultado obtido pela China na área científica e tecnológica reside na sua visão global e abertura ao exterior. Os três prêmios deste ano são abertos para especialistas estrangeiros e cinco projetos premiados foram liderados ou tiveram participação de estrangeiros. Os cientistas chineses e estrangeiros promoveram cooperações amplas em diversos setores e obtiveram resultados notáveis e os passos de abertura e colaboração científica e tecnológica da China serão ainda mais firmes.

Observamos que a equipe liderada por Zhong Nanshan foi premiada na reunião. O time dele sempre persistiu na atitude científica na luta contra a pandemia de Covid -19 e salvou a vida de muitos chineses, além de ter um papel importante no combate à pandemia no âmbito internacional.

Através desta reunião, podemos ver que o segredo da inovação chinesa não só reside na importância e formação dos intelectuais científicos e tecnológicos, como também na atitude de abertura nos intercâmbios. A China sempre considera que o progresso científico e tecnológico é para o bem-estar de toda a humanidade. Tudo isso é uma prática do conceito de comunidade de futuro compartilhado para a humanidade e uma contribuição chinesa para o mundo, acentua o comentário da Rádio Internacional da China 

(Foto: 李学仁 Mídia chinesa)