Políticas errôneas dos EUA provocam conflito Palestina-Israel, afirma mídia chinesa


Como presidente rotativo do Conselho de Segurança da ONU em maio, a China convocou no domingo (16) uma reunião de emergência sobre o conflito Palestina-Israel. A reunião pediu um cessar-fogo imediato e a suspensão da violência entre as duas partes e enfatizou a necessidade urgente de ações da comunidade internacional. 

Os Estados Unidos, em particular, devem assumir suas devidas responsabilidades e adotar uma posição imparcial, ajudando o Conselho de Segurança a desempenhar seu papel de amenizar a situação, restaurar a confiança e alcançar uma solução política em relação ao conflito, destaca em comentário a Rádio Internacional da China.

Por que os Estados Unidos foram mencionados aqui particularmente? Porque esse, conflito, considerado o pior entre a Palestina e Israel desde a guerra de Gaza em 2014, deve-se às políticas errôneas dos EUA para o Oriente Médio.

A política para o Oriente Médio do último governo estadunidense era claramente parcial na questão Palestina-Israel, lançando bases para um novo conflito entre os dois países. Da transferência da Embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém, reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, para a introdução do “Novo plano de paz no Oriente Médio” em favor de Israel, até o reconhecimento público da legitimidade de assentos judaicos e a suspensão de contribuições para a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Oriente Médio (UNRWA), o governo norte-americano ultrapassou os limites, agravando a deterioração da situação de segurança no Oriente Médio.

Após o início da atual rodada de conflitos entre a Palestina e Israel, o atual governo dos EUA não tomou nenhuma iniciativa para resolver a disputa, ao contrário, adotou uma posição unilateral em favor de Israel. Pior ainda, dada a realidade sangrenta de que centenas de pessoas morreram no conflito, os EUA continuaram perseguindo seus padrões duplos em relação aos direitos humanos e impediram repetidamente o Conselho de Segurança de fazer comentários.

A questão da Palestina está no cerne da questão do Oriente Médio. A eclosão do atual conflito Palestina-Israel alertou mais uma vez a comunidade internacional que somente uma solução abrangente, justa e duradoura para a questão palestina possa levar à paz duradoura e segurança completa no Oriente Médio.

Sendo ligados ao atual conflito Palestina-Israel, os EUA devem tomar a iniciativa para aliviar a situação, promover o processo das negociações de paz e apoiar o papel do Conselho de Segurança da ONU. Enquanto o Oriente Médio não se estabilizar, o mundo não ficará seguro. Não há razão para os EUA se distanciarem desta questão.

Chamas e fumaça sobem durante ataques aéreos israelenses em meio a uma explosão de violência israelense-palestina, no sul da Faixa de Gaza em 11 de maio de 2021

Chamas e fumaça sobem durante ataques aéreos israelenses em meio a uma explosão de violência israelense-palestina, no sul da Faixa de Gaza em 11 de maio de 2021 (Foto: Reuters / Ibraheem Abu Mustafa)

Leia mais

Leia também