Polícia vai usar digital para identificar criminosos e buscar por desaparecidos no Espírito Santo

 

O Governo do Espírito Santo contratou, nesta terça-feira (31), o Sistema Automatizado de Identificação Biométrica (Abis) para digitalizar a emissão de carteiras de identidade e toda a base de dados do estado. A mudança vai possibilitar o reconhecimento de digitais em investigações de crimes e em buscas por pessoas desaparecidas.

A aquisição do sistema faz parte do Programa Estado Presente em Defesa da Vida.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, mais de R$ 40 milhões foram investidos na Superintendência da Polícia Técnico-científica por meio do programa.

O sistema vai agilizar o procedimento de emissão de carteiras de identidade, que passará a ser feito em um modelo semelhante ao que é adotado nas emissões de passaportes e carteiras de motorista. Os dados serão coletados e inseridos no banco de dados do estado, que atualmente conta com mais de 4 milhões de dados arquivados, segundo o governador Renato Casagrande (PSB).

Além da identificação pela digital, de acordo com Casagrande, o sistema também vai possibilitar a identificação facial.

Segundo o perito oficial criminal Francisco Mutz Ratzke, serão criados 10 postos de identificação no estado, com mão de obra qualificada para a operacionalização do serviço. A primeira unidade de coleta deve começar a funcionar em 90 dias, segundo o governo.

Os postos vão funcionar nos municípios de Aracruz, Cachoeiro de Itapemirim, Colatina, Cariacica, Guarapari, Linhares, São Mateus, Serra, Vila Velha e Vitória, que concentram 70% da demanda pelo documento de identificação no estado.

O sistema vai abranger, ainda, a Carteira de Identidade Digital, que vai dispensar a necessidade do documento físico.

 

Polícia Civil do ES

Polícia Civil do ES