Polícia prende suspeito de assassinar casal no interior do Espírito Santo

Foi preso na noite desta terça-feira (20) um homem suspeito de assassinar a advogada Marinelva Venturim de Paula, de 62 anos, e do marido dela, o iraniano D’ali Atash, de 68, que era estilista.

O duplo assassinato aconteceu na tarde do último domingo (18) na entrada da casa do casal, que morava em um sítio em Santa Leopoldina, na Região Serrana do Espírito Santo. Foram as imagens das câmeras da residência que ajudaram a polícia a chegar ao assassino.

O suspeito preso nesta terça foi levado para prestar depoimento na Delegacia de Polícia Civil de Santa Leopoldina e, em seguida, encaminhado a uma unidade prisional. Até o momento, a polícia não divulgou o nome e a idade do homem.

No entanto, de acordo com informações adiantadas por Camila de Paula, que é filha de Marinelva, o suspeito é um vizinho do casal assassinado.

Marinelva Venturim de Paula e D'ali Atash foram assassinados em Santa Leopoldina — Foto: Reprodução/Facebook

Marinelva Venturim de Paula e D’ali Atash foram assassinados em Santa Leopoldina — Foto: Reprodução/Facebook

Este homem teria comprado um terreno próximo ao sítio do casal e queria construir uma estrada na região, passando por dentro da propriedade de Marinelva e D’ali. Mas o casal não autorizou a construção da estrada e, por isso, acabou sendo executado.

Detalhes sobre a prisão e a identidade do suspeito serão repassados pela Polícia Civil em uma coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (21).

Também na noite desta terça-feira, a Justiça autorizou a liberação do corpo de Marinelva Venturim. No entanto, ele permanece no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória junto com o corpo do marido, D’ali Atash.

Segundo a família do casal, o sepultamento deve acontecer nos próximos dias, na Ponta da Fruta, em Vila Velha.

Suspeito preso pelo assassinato de casal foi visto entrando na delegacia, em Santa Leopoldina. O nome dele ainda não foi revelado

Suspeito preso pelo assassinato de casal foi visto entrando na delegacia, em Santa Leopoldina. O nome dele ainda não foi revelado

Leia mais

Leia também