Polícia Militar do ES quer gastar quase R$ 1,5 milhão com medalhas

A Polícia Militar do Espírito Santo pretende gastar uma quantia de até R$ 1.464.400,00 para comprar medalhas militares.

A informação foi publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (17), quando a instituição abriu um pregão eletrônico, ou seja, um processo para buscar empresas que apresentem propostas para o fornecimento das medalhas.

De acordo com a publicação, os fornecedores que pretendem disputar a licitação terão até o dia 27 deste mês para apresentar suas propostas.

Em nota, a PM informou que a quantia de quase R$ 1,5 milhão se trata de uma ata de registro de preço para aquisição das medalhas. Isso significa que esse seria o valor máximo a ser utilizado pela instituição ao longo de um ano com esse tipo de aquisição. No entanto, de acordo com a PM, o valor real a ser gasto vai depender do valor de custeio que será disponibilizado pelo governo estadual.

Questionada sobre a viabilidade de compra das medalhas durante a pandemia da Covid-19, tendo em vista o período de recessão econômica e a necessidade de aumento de gastos com saúde e com medidas de auxílio econômico e social para a população, a PM ressaltou que durante 10 anos não houve compra de medalhas, incluindo a medalha “Valor Policial Militar”, cujo recebimento é previsto em lei para os militares que completam 10, 20 e 28 anos de serviços prestados à instituição.

Um levantamento feito pela corporação aponta que 4.036 militares deveriam ter recebido a medalha obrigatória no ano de 2020, o que não ocorreu devido à falta de estoque.

Há uma previsão de que até 2023 mais 2.783 integrantes da instituição tenham esse mesmo direito. Isso levou a PM a abrir o pregão para a compra das medalhas.

“De qualquer forma, o Comando-Geral da PMES ratifica que toda compra efetivada depende de recursos disponibilizados pelo caixa do estado e isto depende de avaliação da conjuntura atual, inclusive das demais despesas. Outro aspecto relevante é a valorização do serviço prestado pelo policial militar junto à sociedade. Reconhecimento e estímulo à prática continua e eficiente do policiamento ostensivo com a concessão da medalha são incentivos a redução dos indicadores de criminalidade, que no caso do Espírito Santo, apresenta relação direta com a produtividade policial”, disse a PM em nota.

Informações: G1


Leia mais

Leia também