Polícia Federal prende mais um suspeito de participar da venda de imóvel da Caixa no Espírito Santo

Mais uma pessoa foi presa em um desdobramento da operação da Polícia Federal que investiga a fraude na venda de um imóvel da Caixa Econômica Federal em Vila Velha, na Grande Vitória. A prisão, realizada na segunda fase da Operação Pesadelo, aconteceu em Aparecida de Goiânia, em Goiás.

A prisão preventiva aconteceu nesta segunda-feira (14). A 1º fase da operação foi deflagrada em novembro com o objetivo de combater fraudes relacionadas a imóveis do acervo patrimonial da Caixa.

A investigação começou depois que a Caixa denunciou a invasão de um imóvel avaliado em R$ 2 milhões, que pertence ao acervo do banco, no município de Vila Velha.

Foi aberto um inquérito policial e, ao ser questionado, o suspeito de invadir o imóvel alegou que tinha comprado a casa por R$ 550 mil em um acordo judicial com a Caixa. A venda teria sido intermediada por um advogado de Goiás.

Com o avanço das investigações, a polícia concluiu que o advogado, preso de forma preventiva na 1º fase da operação, forjou o acordo. A investigação também descobriu que as assinaturas do acordo de compra foram falsificadas.

O advogado também tinha protocolado o acordo falso em processo em trâmite na Justiça Federal e recebeu R$ 55 mil de entrada pelo suspeito de invadir o imóvel.

Segundo a PF, o investigado responderá pelos crimes de estelionatos contra a Caixa, uso de documento falso e patrocínio infiel.

Documentos apreendidos na 1ª fase de Operação Pesadelo — Foto: Divulgação/PF

Documentos apreendidos na 1ª fase de Operação Pesadelo — Foto: Divulgação/PF

Leia mais

Leia também