Polícia Federal investiga no ES oferta fraudulenta de 200 milhões de doses da vacina contra Covid-19 ao Ministério da Saúde

Suspeitos apresentaram credenciais falsas e alegaram ‘exclusividade para comercialização do lote’, diz investigação. Operação cumpre sete mandados de busca e apreensão em Minas Gerais e Espírito Santo.

A Polícia Federal cumpre sete mandados de busca e apreensão, na manhã desta quinta-feira (25), contra um grupo suspeito de oferecer ao Ministério da Saúde, de forma fraudulenta, 200 milhões de doses de vacinas contra Covid-19, “em nome de um grande consórcio farmacêutico”.

A reportagem é de Gabriel Palma e Marília Marques, da TV Globo e G1DF.

A denúncia partiu do próprio ministério. O nome do consórcio não foi divulgado. A investigação apontou ao menos dois suspeitos que, por meio de duas empresas, apresentaram credenciais falsas e afirmaram ter exclusividade para a comercialização do lote de vacinas.

A reportagem tenta contato com o Ministério da Saúde para saber até qual estágio a negociação avançou.

Os mandados estão sendo cumpridos nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, a mando da Justiça do Distrito Federal. Ninguém havia sido preso até a publicação dessa reportagem.

Ainda de acordo com a PF, além do Ministério da Saúde, a oferta fraudulenta de vacinas também foi feita a outros gestores públicos. Os nomes também não foram informados.

A operação, batizada de “Taipan” apura crimes de associação criminosa, estelionato contra entidade pública, além de falsificação de documentos e de produto destinado a fins medicinais.

PF investiga oferta fraudulenta de 200 milhões de doses da vacina contra Covid-19 ao Ministério da Saúde — Foto: Polícia Federal/Divulgação

PF investiga oferta fraudulenta de 200 milhões de doses da vacina contra Covid-19 ao Ministério da Saúde — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Leia mais

Leia também