Polícia faz agendamento de coleta de material genético de famílias de pessoas desaparecidas no Espírito Santo

Durante esta semana, a Polícia Civil do Espírito Santo realizará a coleta de material genético das famílias de pessoas desaparecidas no estado.

A ação é parte de uma campanha nacional elaborada pela Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), com o apoio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

O objetivo da rede integrada é reunir dados de desaparecidos, familiares de desaparecidos, pessoas vivas desconhecidas e de corpos sem identificação. No Espírito Santo, o agendamento já começou e pode ser feito por WhatsApp, pelo número (27) 3225-8260, ou por telefone, no número (27) 3137-9065.

A amostra deve ser coletada de familiar de primeiro grau preferencialmente (mãe, pai, irmão ou filho) e a família também pode entregar objetos de uso pessoal, que possam conter amostras de DNA do parente desaparecido. Pode ser uma escova de dentes, uma aliança, um aparelho de barbear ou até mesmo um dente que tenha sido guardado.

As coletas dos dias 14, 15, 17 e 18 serão realizadas no laboratório de DNA, anexo à sede da Chefatura de Polícia Civil. A equipe está agendando uma família para o período da manhã e outra para o horário da tarde, visando evitar aglomerações.

No dia 16, considerando a situação atual da pandemia da Covid-19, o atendimento às famílias será realizado no Auditório da Polícia Civil, no horário de 10h às 16h, também mediante agendamento prévio, com a presença de servidores da Delegacia Especializada de Pessoas Desaparecidas (DEPD) e Departamento Médico Legal (DML).

Neste dia, a equipe também realizará atendimento sem agendamento prévio. Familiares de pessoas desaparecidas há mais de 30 dias poderão comparecer ao local de coleta, levando o boletim de ocorrência do desaparecimento registrado junto à Polícia Civil. Caso não tenham feito o registro, a Ocorrência poderá ser feita na hora, pela equipe da DEPD que estará no local.

Amostras de materiais genéticos são processadas no Laboratório de DNA Forense do Espírito Santo — Foto: Reprodução/Polícia Civil

Amostras de materiais genéticos são processadas no Laboratório de DNA Forense do Espírito Santo — Foto: Reprodução/Polícia Civil


Leia mais

Leia também