Polícia Civil também vai investigar acidente com lancha em Vitória

Embarcação bateu em estrutura usada para atracação no Porto de Vitória, no sábado (25). Universitária de 25 anos morreu na hora.

Lancha que bateu contra píer tem quase dez metros e capacidade para 12 passageiros.

A Polícia Civil do Espírito Santo disse, nesta terça-feira (28), que vai instaurar um inquérito policial para investigar as causas e responsabilidades do acidente com uma lancha na baía de Vitória, no sábado (25). A Capitania dos Portos também apura o que aconteceu.

Na polícia, a investigação será conduzida pelo 1° Distrito de Polícia de Vitória, no bairro Santo Antônio. Até o momento, a Capitania dos Portos informou que o tráfego de embarcações é proibido no local onde houve o acidente e que a lancha está devidamente regularizada.

A embarcação era conduzida pelo dono, o empresário José Silvino Pinafo, que tem habilitação. Ela bateu em uma estrutura utilizada para atracação no Porto de Vitória. A noiva do empresário, Bruna França Zocca, de 25 anos, morreu na hora.

Um dos pontos a serem esclarecidos pelas investigações é se o piloto bebeu. Em fotos tiradas na lancha, é possível ver várias garrafas de bebida alcoólica. Em um vídeo, José Silvino aparece segurando uma garrafa de água.

Nesta segunda-feira (27), o advogado do empresário disse que pessoas que estiveram na lancha disseram que ele não bebeu. Nem a Capitania dos Portos e nem a Polícia Civil confirmaram se o piloto fez o exame de alcoolemia.

José Silvino quebrou 11 costelas e sofreu perfuração nos pulmões. Ele teve alta nesta segunda do Hospital de Urgência e Emergência e se recupera em casa.

Acidente

Informações da Polícia Militar apontam que, por volta das 18h do sábado, a lancha na qual sete tripulantes estavam se chocou contra o píer de uma empresa. A estrutura de aço é utilizada para atracação no Porto de Vitória.

Bruna estava na parte da frente no momento do impacto e morreu no local. O corpo dela foi sepultado em Itaguaçu, na região Serrana do estado, onde moram os avós da jovem.

Após a colisão, a lancha foi rebocada para as proximidades do Sambão do Povo, a fim de facilitar o socorro dos feridos.

O Corpo de Bombeiros informou, na ocasião, que Silvino e outras duas pessoas foram socorridas e levadas para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência. O empresário teve fratura nas costelas e perfuração no pulmão. Todos os feridos já receberam alta.

Testemunhas relataram que a lancha passou em alta velocidade e muito próximo à margem.

Leia mais

Leia também