Polícia apreende 379kg de carne e fecha abatedouro clandestino no Norte do ES

Nesta manhã (26), policiais militares da 3ª Companhia do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) e agentes do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (IDAF/ES) flagraram o funcionamento de um abatedouro clandestino que estava praticando o comércio ilegal de carne bovina, sem alvará e documentação sanitária, para pessoas físicas e jurídicas. A ação foi após o recebimento de denúncia, no Bairro Seac, no município de São Mateus.

Ao chegarem ao local denunciado, os policiais flagraram uma caminhonete, com a carroceria forrada com uma lona, iniciando o processo de carga de carne bovina oriunda do abatedouro. Os policiais informaram aos funcionários presentes no local o motivo da presença da fiscalização, bem como sobre o teor da denúncia, sendo iniciada a vistoria.

Na edificação foram encontradas diversas porções de carne bovina espalhadas pelo chão, sem qualquer cuidado com a higiene ou questões sanitárias. Havia, ainda, uma balança contendo grande quantidade de carne bovina empilhada. Os policiais indagaram os denunciados quanto à documentação referente ao abatedouro, entretanto nenhum documento foi apresentado à equipe durante a fiscalização.

A equipe constatou que o local não possuía cobertura (telhado) completa e nem compartimentos de refrigeração, havendo sangue, além de restos de osso e a presença de grande quantidade de insetos (moscas, mosquitos e outros). Nos fundos do abatedouro, os policiais constataram a presença de um encanamento que escoava a água e o sangue oriundos do interior do abatedouro para o solo dos fundos da propriedade, lançando, dessa forma, os resíduos líquidos na natureza, sem qualquer tipo de tratamento.

Os agentes do IDAF realizaram a apreensão de todas as carnes, num total de 379,3 kg, entre partes com ossos e resíduos resultantes da limpeza da carne (víceras, ossos, couro e outros), sendo lavrado o Auto de Apreensão, e a carne destinada a um aterro sanitário para descarte.

Em virtude do empreendimento apresentar diversas irregularidades sanitárias e em razão do flagrante de crime ambiental previsto no artigo 60 da Lei 9.605/98, três envolvidos foram encaminhados ao DPJ de São Mateus.

O comandante da 3ª Companhia do BPMA, capitão Fabrício Pereira Rocha, alerta para os riscos advindos do funcionamento e do consumo de carne oriunda de abatedouros clandestinos. “Estes estabelecimentos geralmente possuem péssimas condições de abate, armazenamento e transporte da carne, o que, por si só, representa um risco para a saúde dos consumidores, cujos quais não têm ideia do risco que correm. Os abatedouros clandestinos também causam prejuízos ao meio ambiente, visto que os dejetos gerados por essa atividade são atirados diretamente no solo, nos rios e córregos próximos à região em que estão instalados, ou, simplesmente, deixados para apodrecer ao ar livre, sem qualquer tipo de tratamento, podendo ocasionar inúmeras doenças”, frisa o oficial.

A comunidade pode ajudar o trabalho da Polícia Ambiental por meio de denúncias anônimas, que podem ser feitas diretamente ao serviço Disque-Denúncia, pelo telefone 181 ou por meio do site www.disquedenuncia181.es.gov.br. O anonimato é garantido.


Leia mais

Leia também